sábado, 30 de janeiro de 2010

All Star 2009/2010 - Turquia

O All Star Turco também está próximo. No próximo dia 6 de fevereiro acontecerá o evento, o jogo será entre a seleção turca e as estrelas internacionais do campeonato eleitas pelo público. Os times com maior número de representantes foram aqueles de maior tradição no país, o Fenerbahce, que está invicto na Turquia e na Champions League até o momento, o Vakifbank Istanbul, que também se classificou para os playoffs da Champions e o Eczacibasi Istanbul, que temporada passada chegou ao final four da Champions. As convocadas foram:

Seleção Turca:

NAZ AYDEMIR (Levantadora, Fenerbahçe Acıbadem)
PELIN ÇELIK (Levantadora, Ankaragücü)
EDA ERDEM (Meio, Fenerbahçe Acıbadem)
BAHAR TOKSOY (Meio,Vakıfbank G.S.T.Telekom)
GÖKÇEN DENKEL (Meio, Eczacıbaşı Zentıva)
ESRA GÜMÜŞ (Ponteira, Eczacıbaşı Zentıva)
SEDA TOKATLIOĞLU (Ponteira, Fenerbahçe Acıbadem)
DENIZ HAKYEMEZ (Ponteira, Galatasaray)
GÖZDE KIRDAR (Ponteira, Vakıfbank G.S.T.Telekom)
NESLIHAN DARNEL (Oposta, Vakıfbank G.S.T.Telekom)
NERIMAN ÖZSOY (Oposta, Eczacıbaşı Zentiva)
NIHAN YELDAN (Libero, Fenerbahçe Acıbadem)

Treinador: ALESSANDRO CHIAPPINI

All Star:

MAJA OGNJENOVIC (Levantadora, Sérvia, Eczacıbaşı Zentiva)
FRAUKE DIRICKXX (Levantadora, Bélgica, Fenerbahçe Acıbadem)
MAJA POLJAK (Meio, Cróacia, Vakıfbank G.S.T.Telekom)
NATASA KRSMANOVIC (Meio, Sérvia, Galatasaray)
MARIA BORODAKOVA (Meio, Rússia, Eczacıbaşı Zentiva)
KINGA MACULEWIC (Meio, França, Vakıfbank G.S.T.Telekom)
EKATERINA GAMOVA (Ponteira, Rússia, Fenerbahçe Acıbadem)
NATASA OSMOKROVIC (Ponteira, Cróacia, Fenerbahçe Acıbadem)
TATIANA DOS SANTOS (Ponteira, Brasil, Beşiktaş)
IVANA DJERISILO (Oposta, Sérvia, Galatasaray)
SANJA POPOVIC (Oposta, Croácia, Beşiktaş)
GIZEM GÜREŞEN (Líbero, Turquia, Vakıfbank G.S.T.Telekom) - não existem líberos extrangeiras no campeonato

Treinador: JAN DE BARNDT (Fenerbahçe Acıbadem)


fonte: inside-volley.it

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Champions League 09/10 - Fase Regular


A CEV divulgou o balanço desta primeira fase da Champions League 2009/2010.

O público total bateu todos os recordes da entidade. Juntando a competição masculina e feminina foram 247.368 pessoas que compareceram aos ginásios pela Europa a dentro até agora, isso porque a competição feminina apresenta 4 times a menos que temporada passada. O maior recordista é a equipe masculina, Skra Belchatow da Polônia, que nos três jogos em casa somou um público de 33.530 torcedores. No feminino o maior público ficou por conta do Universitet Belgorod da Rússia, levando 11.600 pessoas para o seu ginásio.

A CEV elegeu também oficialmente as melhores jogadoras desta Fase Regular, elas serão premiadas no primeiro jogo em casa dos Playoffs 12, e só entraram na disputa as jogadoras dos times que se classificaram para a fase seguinte. Foram elas:

Maior Pontuadora: Neslihan Darnel (TUR/VakifGunesTTelekon Istanbul)
Melhor Atacante: Christiane Fürst (ALE/Foppapedretti Bergamo)
Melhor Bloqueadora: Ekaterina Krivets (RUS/Universitet Belgorod)
Melhor Saque: Milada Spalova (CZE/Modranska Prostejov)
Melhor Recepção: Marketa Tomanova (CZE/Modranska Prostejov)

fonte: cev.lu

EUA faz jogo exibição na China

Equipe chinesa do Evergrande, liderada por
Lang Ping, conta com Feng, Zhou, Yang
e a libero americana Nicole Davis

A seleção americana fará um jogo exibição em Guangzhou na China contra a equipe local do Guangdong Evergrande no próximo dia 2 de fevereiro, como forma de preparação para o Grand Prix 2010.

A seleção americana contará somente com jogadoras que estão treinando no momento com o técnico McCutcheon e enfrentará a equipe chinese da técnica Lang Ping, que comandou as americanas até os Jogos de Pequim. O time chinês conta com vários nomes conhecidos como a levantadora Feng Kun, Zhou Suhong e Yang Hao, além das americanas Christa Harmotto e a líbero Nicole Davis. As duas devem se juntar ao resto da equipe após o jogo exibição para ir treinar no Centro de Esportes Americano na Califórnia.

O jogo será transmitido pela tv nacional chinesa, a CCTV, e será realizado no novo Ginásio Guangzhou às 7.30pm (hora local).

Time Americano:
1 - Bryn Kehoe (Levantadora, Stanford)
2 - Cheryl Weaver (Meio, Long Beach State)
4 - Angie Pressey (Ponteira, California-Berkeley)
5 - Jessica Fine (Libero, UCLA)
6 - Alisha Glass (Levantadora, Penn State)
7 - Tama Miyashiro (Libero, Washington)
8 - Katie Kimmich (Ponteira, Pepperdine)
10 - Mekana Barnes (Meio, Colorado State)
11 - Megan Hodge (Ponteira, Penn State)
13 - Ellen Herman (Ponteira, Ohio)
14 - Heather Hughes (Oposta/Ponteira, Loyola Marymount)
16 - Tracy Stalls (Meio, Nebraska)
18 - Jill Collymore (Oposta/Ponteira, Washington)

fonte: fivb.org e vivovolley.it

Coppa Italia - 1ª rodada das Quartas

Villa Cortese após vitória contra o Novara

Yamamay Busto Arsizio 0x3 Monte Schiavo Banca Marche Jesi (22-25 18-25 15-25) - Estatística

Chateau d'Ax Urbino Volley 1x3 Foppapedretti Bergamo (21-25 26-24 16-25 21-25) - Estatística

Asystel Volley Novara 1x3 MC-Carnaghi Villa Cortese (25-21 16-25 17-25 21-25) - Estatística

Misura Perugia 2x3 Scavolini Pesaro (27-25 20-25 25-23 14-25 9-15) - Estatística

Comentários:

Começou na noite de ontem na Itália mais uma disputa pela Coppa Itália. Foi o primeiro jogo das quartas de finais, disputados entre as equipes melhor colocadas ao final do turno do Campeonato Italiano. Todos os times são competentes de chegar a próxima fase, e esse ano mais que nunca, uma vez que o Campeonato está mais equilibrado.

Os primeiros jogos foram todos disputados na casa do time com pior qualificação, e nenhum deles conseguiu tirar vantagem disso. Nos quatro jogos, os vencedores foram aqueles melhor qualificados, ou seja visitantes.

A equipe do Jesi e do Bergamo foram as que encontraram menores dificuldades, muito talvez porque enfrentaram as equipes com menor tradição em competições eliminatórias. O Jesi fez 3x0 contra o Busto Arzisio e basta fazer um set em casa para se classificar para as semifinais. Começando com a ponteira Rinieri no banco, o Monte Schiavo saiu atrás, o Busto jogava muito bem e chegou a abrir 16x7 e 21x14 no primeiro set. No entanto, com a entrada da italiana, o Jesi cresceu, e o Yamamay permitiu a virada, o que desestabilizou a equipe que não encontrou seu voleibol mais. Agora o Busto precisa vencer de 3x0 fora de casa para levar a disputa para o set desempate.

Em Urbino, o Foppapedretti pode contar com toda sua equipe titular novamente, e apesar do susto no segundo set, venceu sem maiores problemas a jovem equipe do Urbino. Lo Bianco e Piccinini estiveram de volta e jogando bem. A ponteira foi a maior pontuadora da partida com 25 pontos.
O Bergamo joga próxima quarta em casa precisando fechar dois sets somente para conseguir a classificação.

Novara e Villa Cortese protagonizaram o confronto mais aguardado do dia, é a disputa em que os times se encontram em maior equilíbrio, e qualquer detalhe pode decidir. E foi o que aconteceu, o detalhe se chama Tai Aguero, a jogadora fez 26 pontos e comandou a vitória do Villa Cortese fora de casa por 3x1. O Novara jogou com a meio de rede Rosso como líbero, confesso que até agora não entendi o motivo, uma vez que as líberos oficiais, Sirressi e Zardo estavam no aptas a jogar. A experiência pode ter custado caro, uma vez que o passe foi o ponto fraco da equipe Novarense. No próximo confronto o Villa sai com uma bela vantagem, mas não me surpreenderá se o Novara conseguir a classificação.

Perugia e Pesaro proporcionaram também uma excelente disputa nesta primeira rodada. O Perugia lutou muito para tentar uma vitória em casa e obrigar o Pesaro a vencer o jogo de volta, mas nem os 26 pontos da ponteira Vasileva foram capaz de fazer do Perugia o vencedor do confronto de ontem. A equipe do Scavolini contou novamente com as excelentes atuações da oposta Skowronska e da ponteira Costagrande, maior pontuadora desta primeira fase com 29 pontos, que carregaram a equipe do Pesaro nas costas. A entrada da meio de rede Marinkovic também foi decisiva para equipe, a jogadora fez 6 pontos de bloqueio no total. Assim o time do técnico brasileiro Angelo Vercesi sai com a vantagem, e não deve ter problemas para conseguir a classificação para as semifinais em casa.

Destaques da Rodada:

Maior Pontuadora: Carolina Costagrande (Pesaro) - 29 pontos
No Bloqueio: Dragana Marinkovic (Pesaro) - 6 bloqueios
No Saque: Margareta Kozuch (Novara) - 3 aces

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Coluna VSF - O que é que a Europa tem?

Como muitos aqui no blog sabem, nós tivemos a oportunidade de ir ao Europeu feminino na Polônia ano passado. Como duas apaixonadas por vôlei, não poderíamos ter ficado mais felizes. E mais que isso, voltamos para casa com a esperança de um dia ver no Brasil o que vimos por lá. Mas será que conseguiremos?

Será que um dia veremos o esporte ser levado a sério no nosso país?


Um pouco de Brasil no ginásio em Lodz

Na Polônia, pudemos acompanhar mais do que como são os jogos na Europa, mas também como é um pouco da organização, porque em boa parte do campeonato ficamos no mesmo hotel que as equipes. Vamos tentar narrar um pouco do que vimos para podermos comparar com a situação que encontramos no Brasil e pensarmos em alternativas para o que poderíamos fazer por aqui.

Quando chegamos a Lodz, para acompanhar a primeira fase, ainda não sabíamos o que nos esperava. Já estávamos há alguns dias na Polônia e o país já tinha nos surpreendido, mas como seria um campeonato organizado por eles? Afinal, não é propriamente em uma comparação com a Polônia que podemos dar a velha desculpa, que por muitas vezes nos acomoda e paralisa, de que eles tem mais dinheiro que a gente.

As primeiras impressões foram muito boas. Entramos no hotel e no hall já pudemos ver um estande do torneio com todo tipo de informação. Tinha revistas sobre o campeonato, sobre cada time, mapas da cidade e outros brindes. Tudo disponível para quem quisesse pegar. E como brasileiro adora um brinde, nós pegamos.

A principal revista, que vinha com tudo em inglês era como um guia do Europeu. Com informações sobre todos os times, sobre cada jogadora, sobre as cidades sede, os ginásios, os hotéis... tudo... muito bem feito mesmo. Além disso, no estande tinha um pessoal que respondia a qualquer dúvida.. sobre como chegar ao ginásio, que ônibus pegar, onde.. essas coisas. E como os times estavam hospedados no nosso hotel, tinha um mural com os horários dos treinos de cada equipe (informação que nos foi muito útil.. rs).

Sinceramente eu não tenho capacidade para comparar esses serviços com o que é feito aqui no Brasil, porque nunca fiquei em um hotel onde os times estivessem hospedados também. Mas do hotel para fora podemos começar a comparação. Andando pelas ruas pudemos ver em diversos lugares banners, faixas, cartazes anunciando que o torneio seria realizado ali. E não apenas em lugares próximos ao ginásio.

Faixa divulgando o Europeu nas ruas de Lodz

Tínhamos algumas opções de transporte para ir para o ginásio: tran, ônibus ou táxi. Facilidades oferecidas pela própria estrutura da cidade, sem qualquer relação com o torneio, mas que tornam a experiência muito mais agradável. Não imagino que alguém queira sair de casa para acompanhar um evento esportivo e passar perrengue para chegar ao estádio. Optamos por ir de tran. Tínhamos que pegar dois, mas era tudo muito fácil. E só para lembrar, estávamos na Polônia, isso significa que não entendíamos nada que estava a nossa volta.

Tudo que precisamos para chegar ao ginásio

As diferenças, infelizmente, não acabavam por ali. Chegamos ao ginásio, recém-reformado. Em volta, um grande estacionamento. E nenhuma confusão. Mesmo com o grande número de pessoas que chegavam ao mesmo tempo. Vimos uns caras segurando uma placa que parecia estar escrito ‘bilhete’, mas não temos certeza, muito menos se eram cambistas ou não. Mas não havia nenhum clima de insegurança ou de tensão. Entramos no complexo e já próximo ao ginásio pudemos ver várias coisas que não vemos por aqui. Primeiro uma grande lona montada, com um telão passando os jogos para quem não tinha ingresso poder ver. Restaurantes com comidas típicas e várias “lojinhas”. Alguns estandes dos patrocinadores do Europeu vendendo seus produtos, um com produtos específicos do campeonato (camisas, mascote e outras coisinhas..) e alguns específicos para a torcida polonesa. Camisa, cachecol, cartolas, cornetas.. tudo nas cores do país. Os poloneses sabem fazer festa pela sua seleção.

A entrada no ginásio também muito tranqüila. Em nenhum dia pegamos fila ou confusão. Nosso lugar estava sempre vazio, cada um sentado em sua cadeira. Nos jogos da Polônia ginásio completamente lotado. Pela cidade pudemos conversar com diversas pessoas “comuns” que foram aos jogos. Do vendedor da loja da Sony a recepcionista do hotel. Quando a Polônia não estava ficava um pouco mais vazio, mas a festa era muito bonita também. Na saída dos jogos, mesmo com milhares de pessoas juntas tudo na maior tranqüilidade. E quando a Polônia vencia tinha até buzinaço pelas ruas!



Pudemos ver jogos também em outra cidade, Katowice. Apesar de estarmos com uma mala ligeiramente grande para tal deslocamento, não tivemos muitos problemas. Pegamos um ônibus, que não era dos mais confortáveis, mas nos levou aonde queríamos. Em Katowice ficamos no hotel da organização. Também tinha um estande do torneio, mas não tão recheado como de Lodz. A cidade não é muito grande e podíamos ir a pé para o ginásio e também para o hotel das jogadoras. De resto nada muito diferente. Ginásio lindo, com lojas e restaurantes em volta. E dentro conforto, organização e muita festa.

Ginásio em Katowice: grande área em volta

Os poloneses foram presenteados com a medalha de bronze de sua seleção. Eles mereciam pelo espetáculo que deram nas arquibancadas e na organização. É claro que contaram com o apoio da CEV para fazer o torneio, mas mostraram que é possível se planejar e transformar um simples torneio de vôlei em um espetáculo.

Será que algum dia teremos esse pensamento no Brasil? Será que um dia trataremos os torcedores como consumidores e com o devido respeito? Será que um dia conseguiremos receber um polonês aqui e ele terá as facilidades que tivemos por lá? O que devemos fazer?

Perfil - Joanna Kaczor


Informações Gerais:

Posição: Oposta
Data de Nascimento: 16/09/1984
Local: Wroclaw, Polônia
Apelido: Asia
Altura: 191cm
Clube Atual: Tauron MKS Dabrowa Gornicza (POL)
Faz parte da campanha FIVB Heroes

Joanna Kaczor, mais conhecida por Asia Kaczor, foi um dos grandes destaques pela seleção polonesa no último Europeu disputado em 2009 na Polônia. Nome constante nas convocações de seu país nos últimos dois anos, se viu esse ano se transferindo para ir jogar pela primeira vez na Itália, mostrando o quanto ela vem se destacando no vôlei europeu. Hoje vamos conhecer um pouco mais desta atleta.


Kaczor com a seleção polonesa

Como curiosidade, Kaczor significa pato em polonês, e sim, como vocês podem imaginar o Pato Donald é por lá conhecido como Kaczor Donald, mas voltemos ao que interessa. Os pais de Joanna se chamam Stanislaw e Helena Kaczor, e ela possui uma irmã mais velha chamada Anna, que foi quem abriu os seus olhos para o esporte.

Ainda na escola, sua irmã foi chamada para participar do time de volêi do colégio e foi indo ver a irmã treinar que o interesse de Kaczor cresceu, ela decidiu então também tentar no voleibol. Alguns meses após começar no colégio, a jogadora foi chamada para ir atuar profissionalmente no time de sua cidade, o Gwardia Wroclaw, onde ficou até 2005. Logo no início de sua carreira, Asia atuava ao lado de outra também conhecida jogadora polonesa no clube, a musa Anna Baranska, e desde 2000 as duas passaram a ser convocadas para participar das seleções de base do país. Jogando pela Seleção Infanto, Kaczor foi prata no Campeonato Europeu e bronze no Campeonato Mundial da categoria em 2001. No ano seguinte, já na Seleção Juvenil se tornou Campeã Européia Juvenil e em 2003 foi novamente bronze no Campeonato Mundial, agora Juvenil.


Kaczor e Sadurek em entrevista no Mundial Juniores


Muitos acreditam que a primeira chance de Kaczor na seleção adulta foi com a chegada do técnico italiano Marco Bonitta em 2008, mas isso não é verdade. Desde 2003, a jogadora foi convocada pelo então técnico da seleção, Niemczyk. Ainda muito nova, essa participação era somente para ganhar experiência, viajando com a equipe principal e treinando com a mesma. Assim Asia se viu participando do grupo que jogou Montreux e o Grand Prix em 2004. E em 2005 a atleta participou ainda da Universíade em Izmir, onde a Polônia foi segunda colocada.

E 2005 foi o ano de mudanças na vida desta jogadora. Ela decidiu largar sua vida na Polônia e se mudar para os EUA para estudar Sociologia. Foi uma decisão consciente. A jogadora queria terminar os estudos, aprender o inglês, e acima de tudo conhecer a cultura americana que ela tanto admirava. E tudo isso sem ter que largar o voleibol.

Em seu primeiro ano no país, Asia estudou na Universidade pública comunitária de Southern Idaho, onde pode jogar vôlei pela NJCAA (uma liga "junior", secundária a NCAA) e ela se tornou campeã do torneio regional e eleita melhor jogadora do ano.
No ano seguinte, na temporada 2006-2007, Kaczor se transferiu para a University of Southern California, a USC, e lá sim pode jogar no mais alto nível do voleibol americano. Era treinada pelo técnico Mick Haley, que em 2000 havia sido técnico da seleção americana que ficou em quarto lugar nas Olimpíadas de Sydney e juntos conseguiram levar a UCS para o Final Four da NCAA, terminando na terceira colocação. Joanna Kaczor entrou para a história de sua Universidade, sendo a primeira jogadora a fazer mais de 500 pontos em uma temporada por dois anos seguidos. Além disso venceu por diversas vezes o prêmio de melhor jogadora da Semana da NCAA.


Asia jogando pela USC na NCAA


Mesmo longe, as suas boas atuações eram percebidas, e em 2007 a jogadora foi convidada a participar de uma Seleção B da Polônia que jogaria a Universiade, porém ela não pode aceitar devido aos compromissos com os estudos.

Concluindo esses, era hora de voltar para casa. E a jogadora retornou no início de 2008 para ir treinar novamente no clube de sua cidade, o Gwardia. Este retorno da jogadora rendeu ao clube o acesso a primeiro divisão da PlusLiga, liga polonesa de voleibol, na temporada 2007-2008 e não demorou muito para um dos clubes mais importantes de seu país ir atrás da jogadora.

Na temporada seguinte, Kaczor se transferiu para o Muszynianka Muszyna, onde se tornou campeã polonesa em 2008-2009 e com quem chegou aos playoffs 6 da Champions League, perdendo a vaga para a fase final para o time turco do Eczacibasi Istanbul.


Rosner e Kaczor com o troféu de Campeão Polonês

Ainda em 2008, a jogadora recebeu um email do técnico Marco Bonitta a convidando para retornar aos treinos com a Seleção Polonesa, e ela claro aceitou. Participou dos treinos sem muitas espectativas reais de estar em Pequim. Porém suas boas atuações no Grand Prix 2008 garantiram sua convocação, e no meio do ano, Asia Kaczor realizava o sonho de estar participando de uma Olimpíada.


Equipe polonesa em Pequim

2009 parece ter sido até agora, no entanto, o grande momento de Kaczor na seleção. Com Skowronska e Podolec machucadas e fora das convocações, Asia teve que assumir o papel de oposta titular da equipe. Jogou o Grand Prix 2009 e, em casa, defendeu as cores de seu país no Campeonato Europeu de volêi. Foi o grande momento da jogadora no ano, que liderou sua equipe na conquista da medalha de bronze.



A jogadora em dois momentos no
Campeonato Europeu 2009

As ótimas atuações nos últimos anos renderam a Kaczor seu primeiro contrato com uma equipe Italiana e essa temporada, a jogadora se transferiu para RebbechiLupa Piacenza. O time vive um mal momento no campeonato, mas sem dúvidas esse é um torneio em que Kaczor será mais exigida do que nunca, e ela só tem a crescer.


Kaczor pelo Piacenza da Itália

No futuro, Kaczor pretende voltar a estudar e fazer doutorado em Sociologia, mas por hora, continuaremos a admirar o jogo dessa ainda jovem e forte jogadora. Uma coisa é certa, os fans poloneses estão, por alguns anos ainda, garantidos da presença de opostas capazes de proporcionar o melhor voleibol e a felicidade de todos, seja com Skowronska, Kaczor ou Podolec, melhor ainda, é que eles podem ter as três.

Atualizações:
- 2011/2012: Assinou com o Bank BPS Fakro Muszyna
- 2011/2012: Vice-campeã da Plusliga com o Muszyna
- 2012: Vice-campeã do Qualificatório Olímpico Europeu na Turquia (não conseguindo a classificação para Londres 2012)
- 2012/2012: Assinou com o Tauron MKS Dabrowa Goricza

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Festa também na Alemanha


All Stars do Sul 2x1 All Stars do Norte (24-26 25-19 15-5) - Estatística


Este fim de semana foi de festa também na Alemanha com o acontecimento do All Star Game da Liga Alemã. O jogo foi disputado entre as Estrelas do Norte e as Estrelas do Sul na cidade de Dresden. No mesmo dia o público pode acompanhar o jogo feminino e masculino além de um competição especial e muito interessante de fundamentos, onde foram premiados a levantadora com melhor toque, a campeã em defesas e o saque mais potente.

Apesar do time do Norte contar com as maiores estrelas do campeonato, como as ponteiras Maren Brinker e Sylvia Roll, a levantadora Denise Hanke e a meio de rede Kathy Radzuweit, foi o time do Sul que se empenhou mais e saiu vencedor da partida. A MVP foi Stephanie Utz, que joga na equipe do SV Lohhof, curiosamente último colocado na Bundesliga até o momento. Mas como aconteceu no Campeonato Italiano, o resultado final não era o que importava, mas sim o divertimento do público e a descontração para celebrar o torneio.

Próxima temporada a idéia da Liga é aumentar o interesse na competição e a disputa do dia de All Star deve ocorrer entre a Seleção da Alemanha e as Estrelas de todo Campeonato.

Competição de Fundamentos:

"Campeão em Desesas" - Na competição as jogadoras deviam defender as bolas em direção a uma menina que se encontrava no teto solar de um carro parado próximo a rede, se a menina conseguisse segurar a bola era ponto pra jogadora. Competiram as líberos Lenka Dürr (Rote Raben Vilsbiburg) e Frauke Formazin (SC Potsdam), e as ponteiras Maren Brinker (USC Münster) e Lina Meyer (Allgäu Team Sonthofen). Na primeira rodada empataram Brinker e Formazin, o desempate veio com quem acertasse a primeira bola, o que acontece para a selecionável Maren Brinker, declarada vencedora da brincadeira.

"Dedos de Ouro" - As levantadoras tinham de acertar duas cestas colocadas em locais estratégicos próximas a rede, uqme acertasse o maior número de bolas era a vencedora. Competiram Denise Hanke (Schweriner SC), Mareen Apitz (Dresdner SC), Lena Möllers (Rote Raben Vilsbiburg) e Noora Lainesalo (VC Wiesbaden). A vencedora foi Mareen Apitz.

"Saque mais potente" - Foi disputado entre todas as jogadoras do All Star, a medição aconteceu durante o jogo, a cada saque. A vencedora foi Katja Wühler (Rote Rabe Vilsbiburg) que sacou a 87 km/h.

Fotos:


A competição de defesas foi a primeira a ser disputada



Maren Brinker foi a vencedora



A melhor levantadora foi Mareen Apitz



All Star Team do Sul



All Star Team do Norte



Maren Brinker e Sylvia Roll



Estrelas da equipe do Sul...



...e do Norte em tempo técnico



No final...



...vitória da equipe do Sul

Quem quiser acompanhar o jogo e a competição de fundamentos pode acessar o site www.spobox.tv, lá entre em VOLLEYBALL BL '09 e procure na direita por "Allstar Day Contest" e "Allstar Day Nord gegen Sürd (Damen)"

fonte: inside-volley.com

Novo site - Manon Flier


A oposta holandesa Manon Flier acabou de lançar seu site oficial na internet. É bem bacana, tem um desing moderno e muito bonito, de fácil manipulação, conta com novidades da jogadora, fotos e vídeos. Vale a pena acompanhar.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Últimas da Safronova

A jogadora russa Natalia Safronova, que passou por momentos difícies ainda esse ano após passar mal durante um treino, foi levada para a Alemanha para realizar uma cirurgia, para seguir o tratamento e vem apresentando melhoras. Ocorreu tudo bem, ela vem se recuperando sem problemas e já está com os seus movimentos novamente. Vamos continuar rezando para que tudo acabe da melhor maneira possível.

fonte: inside-volley.com

Jogo das Estrelas

Ontem, sábado, dia 23 de janeiro, 4600 espectadoras acompanharam na província de Verona o “Jogo das Estrelas” do Campeonato Italiano. Foi uma grande festa, o público pode estar perto de algumas das maiores estrelas dessa temporada. Notícia de última hora para o time do SEAT All Star, as jogadoras Joanna Kaczor, Caroline Wensink (ambas Piacenza) e Irina Kirilova (Novara) não puderam participar da partida por sentir problemas físicos, no lugar delas foram convocadas a tcheca Teresa Matuszkova (Busto Arisizio) e Marina Katic (Piacenza).
Antes da partida a jogadora italiana Quaranta fez um discurso sobre a violência contra as mulheres.
Os fãs participaram o tempo todo do jogo, apoiando suas jogadoras favoritas, o saque para essa grande festa foi dado pela Seleção Italiana, mas no final o resultado foi favorável para as Estrangeiras que venceram por 3x1. O placar final, no entanto, parecia ser o que menos importava, mas sim a celebração para mais uma temporada de sucesso do Campeonato e a confraternização de atletas, técnicos e público.


Seleção Italia 1x3 SEAT All Star Team (13-25, 25-16, 17-25, 21-25)

ITALIANAS: Arrighetti 4, Barcellini 14, Bechis, Cardullo (L), Crisanti 5, Del Core 9, Guiggi 7, Enrica (L), Quaranta 12, Rondon 6, Secolo 2. Não entrou: Barazza. Treinador: Radogna.
Saques Errados 11, Ace 3.

SEAT ALL STAR TEAM: Brakocevic 10, Bown 11, Fernandez 4, Ikic 8, Katic 1, Matuszkova 2, Nagy 4, Petrauskaite 22, Vasileva 2, Weiss 3, Wijnhoven (L), Wilson 3. Não entraram: Furst, Nucu. Treinador: Micelli.
Saques errados 7, Ace 5.

Melhores do Jogo:

MVP:
Valdone Petrauskaite (SEAT All Star Team)
Melhor Bloqueio: Martina Guiggi (Seleção Italiana)
Melhor Levantadora: Giulia Rondon (Seleção Italiana)
Melhor Libero: Elke Wijnhoven (SEAT All Star Team)
Melhor Ataque: Antonella Del Core (Seleção Italiana)

Solidariedade em Quadra:

Essa edição do All Star Game tinha ainda um objetivo ainda maior, de solidariedade. Todas as blusas utilizadas pelas jogadoras de ambos os times foram autografadas pelas mesmas e serão leiloadas dentro dos próximos dias no site da Lega Italiana, o dinheiro arrecadado será doado as vítimas do desastre no Haiti.

Fotos:

Seleção Italiana

SEAT All Star Team

A Italiana Quaranta se pronuncia sobre violência
contra as mulheres

Público animado com a festa

As jogadoras Guiggi, Cardullo e Barazza com a nova
bola do campeonato

Comemorações...

...de ambos os lados

Público se divertindo durante a partida


No banco, a confraternização das jogadoras de
diferentes equipes

A lituana Valdone Petrauskaite foi o
destaque do jogo

Ginásio cheio para a festa

Vitória da equipe do All Star

Prata para as Italianas

Estrangeiras levantam o troféu

fonte e fotos: site da Lega

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Mercado 2009/2010 - Valentina Serena no Bergamo

O Foppapedretti Bergamo tem mais uma levantadora em seu elenco. O time, que vinha sofrendo demais com a ausência de sua titular Eleonora Lo Bianco, contratou Valentina Serena, que na temporada passada defendeu as cores do Conegliano e esse ano se transferiu para a Turquia para acompanhar o marido francês Granvorka.


Serena em ação pelo Conegliano

A situação do clube italiano ficou ainda mais complicada já que sua levantadora reserva, a polonesa Katja Gujska, também está com problemas de saúde. A jogadora estava apenas esperando que a Lo Bianco tivesse condições de jogar para poder se tratar. Diante da situação a diretoria teve que recorrer ao mercado para buscar uma solução, ainda que provisória.
O prazo para contratações se encerrou dia 11 de janeiro. O diretor do Foppa, Giovanni Panzetti, garante que o empréstimo junto ao Conegliano foi realizado dentro do prazo, mas, por precaução, preferiram esperar a liberação por escrito do clube em que ela atuava até poucos dias antes de anunciá-la.
As primeiras palavras da nova jogadora do Bergamo foram:
"Estava com as malas prontas há alguns dias. Esperava apenas que o Ankara assinasse a liberação para que eu pudesse vir para cá. Não via a hora de voltar para a Itália, porque a experiência turca estava se tornando uma decepção."
E continuou: "O convite do Foppapedretti foi com certeza inesperado, mas muito emocionante. Chego à uma Società histórica, sempre nas primeiras colocações em todas as competições. E estar ao lado da Leo Lo Bianco para mim é indescritível. Quero aprender muito com essa experiência, mas sobretudo poder fazer bem meu trabalho e ajudar o time."

Boa sorte aos dois: Serena e Foppa!

fonte: volleybergamo.it

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Asystel Volley Novara Web TV


O time italiano Asystel Volley acabou de lançar uma novidade em seu site para os seus fãs, é uma Web TV. Agora qualquer um pode ter acesso aos jogos da equipe em casa pela válidos Liga Italiana. Esse é apenas o início de um projeto, garante o responsável pelo site e Emprensa oficial do clube, Giuseppe Maddaluno, "Para nós este é um ponto de partida, não um ponto de chegada. Esta meia-temporada que resta será a oportunidade para testar os novos meios de comunicação e a resposta do público. Continua a ser o objetivo, digamos um sonho, de tornar a Asystel Volley Web TV um verdadeiro e proprio canal de aprofundamento sobre a Società e a equipe, como o que acontece com a Web TV das equipes de futebol da Inglaterra: um verdadeiro modelo a seguir em termos de comunicação e marketing."

Os jogos serão postados no site por volta de dois dias após o acontecimento das partidas. Vocês já podem acompanhar on line o tie-break do jogo Novara e Busto além de toda partida entre Novara e Piacenza, pela última rodada do Campeonato Italiano;

Para acompanhar basta acessar o site do clube, neste link, http://www.asystelvolley.com/webtv.asp, e se divertir vendo suas atletas favoritas.

fonte: asystelvolley.com