domingo, 31 de outubro de 2010

Levantadora turca Naz Aydemir, lança novo site


A jovem levantadora da seleção turca e do Fenerbahçe Acibadem, Naz Aydemir, acabou de postar em seu twitter seu novo site. A jogadora de apenas 20 anos é uma das estrelas do voleibol turco, e já tem fãs espalhadas por todo o mundo. O antigo site foi remodelado e agora está assim - http://www.nazaydemir.com/
Ficou muito bacana. Lá vocês podem encontrar novidades sobre Naz, biografia, fotos, e muito mais.

fonte: twitter.com/nazaydemir17

Mundial 2010: Estatísticas das Melhores Jogadoras

A ponteira Logan Tom foi a nossa eleita no destaque desta rodada. A escolha foi difícil, com a turca Darnel, a cubana Carcaces e a coreana Kim pontuando muito em seus jogos, escolher somente uma jogadora parece tortura. Mas Logan Tom é uma jogadora completa, seguindo as palavras do técnico Guidetti, é difícil achar alguém melhor quando ela está em um dia inspirado, e hoje foi um desses dias. Além dos 19 pontos no jogo contra a Alemanha, sendo a maior pontuadora da partida, Logan teve 62,50% de eficiência no ataque, 2 bloqueios, 2 aces e e teve nada mais nada menos que 85% na recepção.


Melhores da 3ª Rodada:

Maior Pontuadora: Neslihan Darnel (TUR) - 27 erros
Melhor Atacante: Rachel Sanchez (CUB) - 72,73%
Melhor Bloqueadora: Olga Nassedkina (CAZ) - 6 bloqueios
Melhor Sacadora: Kenia Carcaces (CUB) - 6 aces
Melhor Defensora: Brenda Castillo - 22 defesas (4.40)

Melhores Jogadoras do Campeonato:

Maiores Pontuadoras:
1. Neslihan Darnel (TUR) - 78 pnts
2. Manon Flier (HOL) - 68 pnts
3. Yeon-Koung Kim (COR) - 63 pnts

Melhores Atacantes:
1. Yoana Palacios (CUB) - 53,49%
2. Yeon-Koung Kim (COR) - 52,34%
3. Ekaterina Gamova (RUS) - 52,17%

Melhores Bloqueadoras:
1. Ming Xue (CHN) - 1,30 (13 bloqueios)
2. Ivana Plchotova (CZE) - 1,27 (14 bloqueios)
3. Natasa Krsmanovic (SRB) - 1,18 (13 bloqueios)

Melhores Sacadoras:
1. Neslihan Darnel (TUR) - 0,69 (9 aces)
2. Kenia Carcaces (CUB) - 0,64 (7 aces)
3. Manon Flier (HOL) - 0,64 (7 aces)

Melhores Defensoras:
1. Stacy Sykora (EUA) - 5,20 (52 defesas)
2. Brenda Castillo (DOM) - 3,75 (45 defesas)
3. Gulden Kuzubasioglu (TUR) - 3,69 (48 defesas)

Melhores Levantadoras:
1. Nootsara Tomkom (THA) - 12,18
2. Alisha Glass (EUA) - 11,60
3. Sa-Nee Kim (COR) - 11,44

Melhores na Recepção:
1. Wilavan Apinyapong (THA) - 70,31%
2. Logan Tom (EUA) - 68,66%
3. Song-Yi Han (COR) - 68,18%

Melhores Líberos:
1. Jie-Youn Nam (COR) - 8,00
2. Svetlana Kryuchkova (RUS) - 7,45
3. Brenda Castillo (DOM) - 6,92

fonte: fivb.com

Sete times já classificados a 2ª Fase

Após três dias de jogos, sete equipes seguem invictas neste Campeonato Mundial. Com os resultados conquistados, essas equipes não tem mais como ficar de fora dos quatro melhores dentro de seus grupos, e assim garantiram matematicamente a classificação para a segunda fase do torneio. Entre as seleções as quatro consideradas favoritas ao título. Ainda restam 9 vagas, que serão decididas nas próximas duas rodadas de jogos restantes nesta primeira fase.

Classificados:
Japão (Grupo A)
Sérvia (Grupo A)
Brasil (Grupo B)
Itália (Grupo B)
EUA (Grupo C)
Rússia (Grupo D)
Coréia (Grupo D)

fivb.com

Jogando o Mundial 40 dias depois de dar a luz


Muitos diziam ser impossível, mas ainda grávida há seis semanas atrás, a holandesa Kim Staelens sempre fez questão de garantir que iria jogar o Campeonato Mundial e ajudar suas companheiras no Japão. Cabeça dura, como define a si mesma, ela fez acontecer. E 40 dias após dar a luz a Lynn, sua primeira filha, a levantadora está em Hamamatsu. "Sou a pessoa mais feliz de todo mundo porque eu tenho minha pequena menina e também estou na minha outra vida, no voleibol". Kim tem no Japão a companhia de sua mãe. É ela que fica com Lynn enquanto a mamãe tem que cumprir, entre jogos e treinos, seus compromissos com a seleção.

Kim explica que sempre manteve na cabeça o entusiasmo de participar de um Mundial, e se cuidou durante toda a gravidez para manter a melhor forma possível. "Eu estava praticando voleibol até somente uma semana antes do parto e usei as instruções do meu obstetra e do fisioterapeuta da seleção para tomar as precauções necessárias. Nos últimos dias antes do parto estava somente levantando para as minha companheiras sem fazer muita força. O médico me liberou para fazer alguns exercícios apenas 10 dias após o parto e eu tinha a capacidade de fazer mais, me reuni com o time para as sessões de treinamentos e vi o quanto meu treinador Avital Selinger ficou feliz por me ver retornando tão rápido. Isso me dá grande estímulo para me esforçar mais. Eu fiz o impossível e consegui convencer meu técnico de estar no Japão com a equipe e comecei um programa para restaurar minha forma física, aconteceu e eu vim para cá com meu bebê".

A princípio a idéia é que Kim começe os jogos como reserva. No entanto, hoje, na partida contra o Brasil, a experiente levantadora retomou sua posição de origem, a de titular. A jovem Dijkema cresce a cada campeonato, mas sofre com um problema crônico no pulso, que terá que operar após o Mundial. Com a partida desgastante de ontem contra a Itália, Dijkema sentiu muitas dores. Selinger não pensou duas vezes, com uma jogadora como Kim a disposição, foi a escolha a ser feita. Kim Staelens ainda está longe de sua velha forma, mas para quem deu luz a apenas 40 dias, estar jogando um Campeonato mundial, evento mais importante do calendário do voleibol, é realmente a realização de um sonho que parecia impossível.

fonte: fivb.com

Piccinini e Rondon falam sobre jogo com Quênia



O Mundial começou também para Francesca Piccinini, finalmente em campo depois de alguns dias ali atrás. Foi tudo bem, com certeza.


Piccinini: Sim, correu tudo bem. Foi realmente só um pouquinho, mas o importante era começar a saborear o campo. E pouco a pouco, dia após dia estou melhorando, então não vejo a hora de entrar e dar a minha contribuição.

Então, já está próxima a sua estréia oficial, depois de amanhã ou talvez contra o Brasil?

Piccinini: Com certeza, a cada dia devemos avaliar. Porém, amanhã farei o treinamento completo, então acredito que será contra a República Tcheca.

Como foi ver esses primeiros jogos de fora, como espectadora? Para você é um pouco estranho isso.

Piccinini: É estranho, foi estranho, mas eu tinha que estar fora, não podia fazer outra coisa. Devia garantir que se curasse bem o meu probleminha, porque se acontecesse de novo depois no fim e eu perdesse o Mundial, preferi tentar chegar bem e para isso tivemos que ficar fora agora.

Como você tem visto a Itália até aqui?

Piccinini: Bem, com certeza a cada dia melhoramos sempre mais, ontem foi um belo jogo contra a Holanda, porque se pode ver o caráter, que veio a tona e tenho certeza que podemos fazer um bom Mundial.




Também para você foi uma estréia. Como foi está em quadra?

Rondon: Com certeza uma emoção para várias de nós que estrearam. De qualquer forma, estávamos felizes por poder disputar esse jogo, então demos tudo.

O Quênia, já se sabia, não era um adversário muito forte.

Rondon: No último set demos um pouco mais de espaço, mas, também em respeito a elas, acredito que jogamos uma boa partida tentando fazer o melhor possível.

Como você está aproveitando esse Mundial?

Rondon: Com certeza, aproveito cada dia, cada partida. Tento, quando estou fora, de incentivar as outras, de ajudá-las se possível. Estou aproveitando.

É difícil estar sempre no banco, ver as outras jogando, se preparar para jogar, mas ficar de fora?

Rondon: Bem, são aquelas vezes que talvez pensa "A se eu entrar vou fazer um bloqueio e viramos". Mas eu estou diante de uma jogadora como a Leo que dispensa comentários, todos sabem o seu valor, então é bom também observá-la.

fonte: volleyball.it

Ninguém vestiu essa camisa mais vezes do que ela!


Hoje é um dia histórico para um personagem do voleibol italiano. A levantadora Eleonora Lo Bianco alcançou a incrível marca de 475 jogos por sua seleção, se tornando, assim, a atleta que mais vezes vestiu essa camisa, entre homens e mulheres. Ela superou Andrea Giani, antigo recordista.
Leo estreou em 98, em jogo contra o Brasil, válido pelo torneio de Montreux. De lá para cá foram 3 Olimpíadas, 4 Mundiais e 6 Europeus.

fonte: volleyball.it

Experiente, Logan Tom brilha!


Alemanha e EUA jogavam hoje pela liderança isolada do Grupo C no campeonato Mundial. O jogo envolvia muita tensão, principalmente para as americanas, consideradas uma das favoritas ao título mundial. E é nessas horas que as grandes estrelas como Logan Tom aparecem. Uma das mais experientes do grupo de McCutcheon, Logan liderou a jovem seleção americana, que venceu de forma categórica a Alemanha de Giovanni Guidetti. Ao final da partida, quando perguntado sobre a atuação da ponteira americana, o treinador era só elogios. "Para mim, isso é normal. Não existe outra jogadora que consegue jogar voleibol como Logan Tom. Ela tem defesa, ela tem bloqueio, ela ataca de centenas de posições. Quando ela joga mal, ela comete talvez um erro na partida. Eu tive a sorte de treinar ela na Itália, mas ela nunca me agradece porque ela sempre me vence (risos). Ela é a jogadora chave deste time. Esse ano, acho que toda vez que Logan Tom não estava lá, eles perderam. Qaundo Logan Tom está lá, eles sempre vencem porque uma jogadora é muito importante. Logan e Bown eram as jogadoras mais experientes hoje e elas fizeram a diferença".

Guidetti também comentou sobre a partida, e parecia satisfeito apesar da derrota por 3 a 0, "Na verdade estou orgulhoso do que meu time fez hoje, porque jogamos dois sets em alto nível. Os EUA estão, eu acho, entre os top três do mundo hoje porque eles encontraram ótimos novos talentos que se juntam a Logan Tom, Heather Bown e Stacy Sykora. Perdemos dois sets por pouco, pqeuenos detalhes - isso significa que meu time jogou uma boa partida, mas devemos aprender com esta partida. Cometemos pequeno erros, mas se conseguirmos manter o nível dos dois primeiros sets, podemos vencer outras partidas neste torneio".

fonte: fivb.com

República Tcheca encaminha sua classificação


Após boa partida contra o Brasil, a República Tcheca tinha hoje a tarefa mais importante. Vencer Porto Rico significaria dar um passo rumo a classificação a segunda fase. Essa sempre foi a meta traçada pelas tchecas, e elas sempre souberam que Porto Rico seria o adversário direto em seu caminho. O nervosismo poderia tomar conta das jovens meninas tchecas, mas não foi o que aconteceu. Em mais uma grande atuação dentro de quadra, Havlikova e cia despacharam Porto Rico, e agora estão mais perto de continuar sua jornada no torneio. "Foi necessária muita concentração durante toda a partida para nós. Queríamos vencer com nosso bom saque e bom bloque. Sei que Porto Rico tem boas jogadoras, e tem uma nova líbero, então tentamos jogar com isso. Estou feliz após esta partida" disse o treinador tcheco Jiri Siller. Amanhã as tchecas enfrentam a conhecida Itália, e torcem para o Brasil vencer Porto Rico.

fonte: fivb.com

Quênia mostra Espírito Esportivo


Mais uma vez a seleção do Quênia nos fez abrir os olhos para as belezas do esporte que vão além de vitórias e títulos. Lições de espírito esportivo que ficarão como marcas deste Mundial no Japão. A equipe queniana sabe de suas limitações físicas e técnicas, e veio ao campeonato mundial com o objetivo claro de aproveitar ao máximo as experiência que poucas vezes lhes são apresentadas em suas vidas. Pensando nisso, a capitã Brackcides Khadambi, tinha um pedido especial a fazer a seu técnico. Ontem, a jogadora se reuniu com as companheiras e juntas pediram que o técnico colocasse em quadra hoje contra a Itália também as demais jogadoras, para que todas tivessem as mesmas oportunidades de participar de um Campeonato Mundial! "Tivemos uma reunião ontem. A capitã nos pediu que a gente usasse também as outras jogadoras" disse Hidehiro Irisawa, treinador da seleção queniana.

A força de vontade demonstrada em quadra, a luta para que o voleibol no país africano foi motivo de muitos elogios vindos dos campeoníssimos italianos após a partida. O técnico Barbolini e a levantadora Lo Bianco fizeram questão de parabenizar as quenianas. "Nós jogamos contra elas a três anos na Copa do Mundo, e a evolução da equipe desde este momento é muito bom. Elas jogam algumas situações muito bem." enfatizou Barbolini, a capitã italiana completou: "Gostaria de parabenizar o time queinano. Elas melhoraram muito ao longo desses anos".

fonte: fivb.com

Grupo B: Tudo encaminhado


Resultados -

Porto Rico 0x3 Rep. Tcheca (14-25, 14-25, 17-25) - Estatísticas

Itália 3x0 Quênia (25-9, 25-7, 25-21) - Estatísticas

Brasil 3x0 Holanda (25-19, 25-18, 25-14) - Estatísticas

Depois de fazer um grande jogo contra o Brasil, a República Tcheca enfim conseguiu sua primeira vitória no campeonato. Com um placar impressionante, o time europeu não deu chances ao seu adversário. Mais uma vez a capitã da equipe Plchotova e a oposta Havlikova se destacaram. Pelo lado de Porto Rico nada deu muito certo e o time ainda espera que sua melhor jogadora, Aurea Cruz, jogue seu melhor voleibol. O time tcheco praticamente garantiu sua classificação para a segunda fase. No segundo jogo do dia, a Itália poupou algumas jogadoras, mas mesmo assim não teve nenhuma dificuldade para vencer o Quênia. A grande notícia para o time foi a volta de Piccinini, ainda que apenas para fazer o fundo de quadra. Com mais um bom jogo de Barcellini e cometendo apenas 8 erros, o time do técnico Barbolini levou menos de uma hora para fechar a partida, um bom descanso depois da maratona de ontem, contra a Holanda, que não teve a mesma "sorte". Esperava-se que o jogo que encerraria a rodada fosse bem equilibrado, mas a Holanda não conseguiu repetir as atuações dos jogos passados. O Brasil fez seu melhor jogo no campeonato, mas enfrentou uma Holanda que ofereceu pouca resistência. Sem duas titulares, poupadas com dores, o time laranja não se encontrava em quadra, parecia que nada dava certo, enquanto o Brasil aproveitava e virava tudo com suas atacantes. A equipe de Zé Roberto ganha confiança, embora acredite que não tenha sido realmente exigido. Já a Holanda pode ter perdido uma grande oportunidade ao optar por jogar com Kim e Huurman, mas não deve ter problemas para avançar a segunda fase.

Classificação -
1. Brasil - 6 pontos (3-0)
2. Itália - 6 pontos (3-0)
3. Rep. Tcheca - 4 pontos (1-2)
4. Holanda - 4 pontos (1-2)
5. Porto Rico - 4 pontos (1-2)
6. Quênia - 3 pontos (0-3)

fonte: fivb.com

Grupo D: Na raça


Resultados -

Turquia 3x2 Rep. Dominicana (25-20, 25-14, 23-25, 23-25, 17-15) - Estatísticas

Canadá 0x3 Rússia (13-25, 16-25, 21-25) - Estatísticas

Coréia 3x0 China (25-22, 25-23, 25-23) - Estatísticas

A Turquia entrou em quadra disposta a se recuperar da derrota de ontem. Fechou dois sets sem dar chances a Reppública Dominicana. Mas o time comandado pelo técnico Marcos Kwiek não desistiu do jogo e lutou muito. Foram três sets emocionantes e com voleibol de alto nível. O equilíbrio seguiu até o final do tie-break, com chances para os dois times, mas a Turquia teve uma jogadora para desequilibrar. Darnel fez de tudo em quadra: pontos em todas as posições, bloqueio, ace, defesa. Ela foi o grande destaque da partida, enquanto que pelas dominicanas o destaque foi Rivera, com 24 pontos. Depois dessa maratona, um passeio russo. Sem precisar fazer muito esforço, a Rússia chegou a sua terceira vitória, dessa vez sem sustos. Gamova foi mais uma vez a maior pontuadora, já pelo Canadá Sarah Pavan segue brilhando sozinha. Quem também se destaca toda rodada é a coreana Kim, que hoje conduziu seu time a uma incrível vitória no clássico asiático contra a China. A Coréia, que já havia surpreendido a República Dominicana, segue invicta e já está classificada para a segunda fase. Um grande resultado para o time que teve que abrir mão de jogar o Grand Prix por problemas financeiros. A China está pagando o preço de ter uma equipe renovada e continua muito irregular, mas ainda depende apenas de seus resultados para ir a segunda fase.

Classificação -
1. Rússia - 6 pontos (3-0)
2. Coréia - 6 pontos (3-0)
3. Turquia - 5 pontos (2-1)
4. China - 4 pontos (1-2)
5. Rep. Dominicana - 3 pontos (0-3)
6. Canadá - 3 pontos (0-3)

fonte: fivb.com

Grupo C: Cuba desencanta


Resultados -

Cazaquistão 2x3 Cuba (25-20, 15-25, 27-25, 25-23, 10-15) - Estatísticas

Croácia 0x3 Tailândia (15-25, 14-25, 17-25) - Estatísticas

Alemanha 0x3 EUA (23-25, 24-26, 17-25) - Estatísticas

Cuba enfim conseguiu sua primeira vitória no Mundial, mas foi sofrido. O Cazaquistão valorizou muito o jogo e deu poucos pontos em erros. Com grande atuação de Carcaces e Palacios, o time cubano segue vivo no campeonato. O jogo foi bem equilibrado, não faltou emoção. No jogo seguinte, mais um duelo entre postulantes as últimas vagas para a segunda fase. E quem sai na vantagem foi a Tailândia, que bateu a Croácia em três sets. Com um jogo veloz as tailandesas conseguiram neutralizar as forças do time europeu, que pareceu se assustar com o volume de jogo de seu adversário, já que era a primeira vez que a maioria das croatas enfrentava um time asiático. Já o grande favorito do grupo, os EUA, seguem vencendo sem maiores problemas. Hoje a vítima foi a Alemanha, que lutou muito e em vários momentos conseguiu equilibrar a partida, principalmente com os ataques certeiros de Kozuch. Mas os EUA tem Logan Tom, maior pontuadora do jogo com 19 pontos, para resolver sempre que a situação complica. Mais uma vez o bloqueio americano fez a diferença nos momentos de definição.

Classificação -
1. EUA - 6 pontos (3-0)
2. Tailândia - 5 pontos (2-1)
3. Alemanha - 5 pontos (2-1)
4. Cuba - 4 pontos (1-2)
5. Croácia - 4 pontos (1-2)
6. Cazaquistão - 3 pontos (0-3)

fonte: fivb.com

Grupo A: Favoritismos confirmados


Resultados:

Peru 1x3 Sérvia (21-25, 25-16, 21-25, 18-25) - Estatísticas

Polônia 3x0 Costa Rica (25-14, 25-12, 25-15) - Estatísticas

Argélia 0x3 Japão (18-25, 7-25, 14-25) - Estatísticas

A Sérvia, mesmo sem jogar o sue melhor voleibol, conseguiu manter a invencibilidade ao bater o Peru. O time sul-americano chegou a surpreender ganhando bem o segundo set, mas, em um jogo de muitos erros, acabou prevalecendo o maior poder de ataque sérvio, que mesmo com suas titulares em dia não muito inspirado, pode contar com a força do grupo para levar mais uma vitória.
O gurpo teve outro europeu somando dois pontos. A Polônia, que ainda não tinha vencido no campeonato, aproveitou a fragilidade de seu adversário, a Costa Rica, para tentar iniciar uma recuperação. O time não deu chance ao azar e em pouco mais de uma hora fechou a partida. O time errou muito pouco, apenas 8 pontos, e foi superior em todos os fundamentos. Uma bela atuação da central Okuniewska, que substituiu a contundida Bednarek. No fechamento da rodada, mas um dia de felicidade para os torcedores. Nova vitória do Japão, dessa vez contra a Argélia. O time tem a vantagem de jogar em casa e de uma chave um pouco mais fácil e parece querer aproveitar essa chance de voltar as semi-finais. Cometendo poucos erros, ignorou a fragilidade do adversário e não quis se complicar, mesmo jogando com algumas jogadoras diferentes como a capitã Erika Araki e Sakota Saori, maior pontuadora da partida.

Classificação -
1. Japão - 6 pontos (3-0)
2. Sérvia - 6 pontos (3-0)
3. Polônia - 4 pontos (1-2)
4. Peru - 4 pontos (1-2)
5. Costa Rica - 4 pontos (1-2)
6. Argélia - 3 pontos (0-3)

fonte: fivb.com

sábado, 30 de outubro de 2010

Polônia sem Bednarek amanhã


A Polônia terá um grande desfalque para o jogo de amanhã. A central Agnieszka Bednarek machucou o dedo polegar, hoje no jogo contra a Sérvia, e deixou a quadra chorando. A polonesa chegou a ser levada para o hospital com uma suspeita de fratura, mas o exame tranquilizou a equipe. Ela teve uma entorce no dedão e ainda não se sabe quando poderá voltar.

fonte: reprezentacja.net

Programação dos jogos: 31/10

Grupo A:

1:30h Peru x Sérvia
4:00h Polônia x Costa Rica
7:00h Argélia x Japão

Grupo B:

2:00h Porto Rico x República Tcheca
4:30h Itália x Quênia
7:00h Brasil x Holanda

Grupo C:

2:00h Cazaquistão x Cuba
4:30h Croácia x Tailândia
7:00h Alemanha x EUA

Grupo D:

2:00h Turquia x República Dominicana
4:30h Canadá x Rússia
7:00h Coréia x China

fonte: fivb.com

Barcellini e Arrighetti comentam vitória sobre Holanda



Entrada em um momento delicado da partida, mas também com a sua ajuda a Itália leva para casa dois pontos importantes. Como você viu, de dentro, esse jogo?

Barcellini: Veja, foi uma emoção muito grande, até porque é a primeira vez que jogo um campeonato desse nível. Já tinha jogado a final do campeonato italiano, mas pouco a pouco você vai andando adiante e descobrindo coisas novas, esse campeonato, para mim, é uma emoção realmente estupenda. Digamos que no início entrei um pouco... não que você pense 'estou entrando', bate a primeira bola o melhor que pode e estou feliz com o resultado.

Você também teve uma atuação no ataque muito boa, no tie-break e no quarto set, você bateu forte mesmo as bolas que não estavam muito boas e virou as bolas

Barcellini: Menos mal.. devo usar o meu braço (risos).. sim.

Em que momento que a Itália fez o salto de qualidade?

Barcellini: Eu acredito que quando você está bem atrás em um set e consegue se recuperar e vencer, o grupo fica mais forte e te dá mais força para continuar toda partida e se estabilizar, o que talvez no início não..

Se fala de coração e luta, que parecem ótimas palavras, visto que o coração italiano é muito grande, bate forte.

Barcellini: Sim, para mim o coração é uma das coisas principais. Também a bravura, todas as coisas, mas quando joga com a alma, com o coração, aquele detalhe sempre vem.



Valentina Arrighetti, hoje não parecia uma estreante em Mundial.

Arrighetti: Como já disse, no início, a tensão era grande, até porque ontem foi como uma partida de aquecimento, hoje entramos de verdade no Mundial, então as pernas tremiam um pouco. Mas o time conseguiu adquirir uma grande confiança, era uma partida muito difícil, não fomos brilhantes, também hoje não fomos brilhantes, porém aquele que a mais, aquele coração para vencer no final. Seguramos com unhas e dentes essa vitória e isso foi bom

Contra não é que tinha um time qualquer, era o time vice-campeão da Europa, que não desistiu nunca, que partiu sempre em vantagem, em todos os sets, porém no final deu Itália

Arrighetti: É, parece que sim (risos)

Qual foi o momento decisivo em que fizeram o salto de qualidade?

Arrighetti: Acredito que do segundo set em diante foi sempre uma partida jogada até o último ponto. No início não defendíamos, não´contra, não contracata.. bem (risos).. não fazíamos contra-ataque e assim era difícil jogar contra uma Holanda que vira tudo, depois começamos a defender, a colocar no chão as bolas importantes, nós fomos melhores nessa hora.

No tie-break, emocionante, também ali um começo equilibrado, depois alguns pontos decisivos.

Arrighetti: Sim, sim.. também o tie-break foi assim, porém o tie-break esteve sempre páu a páu, depois abrimos um pouco e a deixamos um pouco para trás.

fonte: volleyball.it

Mundial 2010: Estatísticas das Melhores Jogadoras

A oposta Manon Flier foi o grande destaque deste segundo dia do campeonato mundial. Impecável em todos os fundamentos, a jogadora liderou a seleção holandesa na partida de hoje contra a Itália. Apesar da derrota, Flier saiu da partida com 35 pontos, muito provavelmente a sua maior pontuação em uma partida oficial, teve 46,55% de eficiência no ataque, e somou 4 bloqueios e 4 aces.


Melhores da 2ª Rodada:

Maior Pontuadora: Manon Flier (HOL) - 35 pontos
Melhor Atacante: Kenia Carcaces (CUB) - 54,84%
Melhor Bloqueadora: Berenika Okuniewska (POL) - 7 bloqueios
Melhor Sacadora: Brizitka Molnar (SRB) - 5 aces
Melhor Defensora: Stacy Sykora (EUA) - 17 defesas (5.76)

Melhores Jogadoras do Campeonato:

Maiores Pontuadoras:
1. Manon Flier (HOL) - 56 pnts
2. Neslihan Darnel (TUR) - 51 pnts
3. Saori Kimura (JAP) - 48 pnts

Melhores Atacantes:
1. Destinee Hooker (EUA) - 53,52%
2. Manon Flier (HOL) - 52,27%
3. Yoana Palacios (CUB) - 52,00%

Melhores Bloqueadoras:
1. Ming Xue (CHN) - 1,43 (10 bloqueios)
2. Ivana Plchotova (CZE) - 1,38 (11 bloqueios)
3. Kaori Inoue (JAP) - 1,33 (12 bloqueios)

Melhores Sacadoras:
1. Brizitka Molnar (SRB) - 0,71 (5 aces)
2. Mercy Moin (KEN) - 0,67 (4 aces)
3. Manon Flier (HOL) - 0,63 (5 aces)

Melhores Defensoras:
1 Stacy Sykora (EUA) - 5,43 (38 defesas)
2. Guldan Kuzubasioglu (TUR) - 4,38 (35 defesas)
3. Vanessa Palacios (PER) - 3,71 (26 defesas)

Melhores Levantadoras:
1. Nootsara Tomkom (THA) - 12,75
2. Qiuyue Wei (CHN) - 12,57
3. Sa-Nee Kim (COR) - 12,50

Melhores na Recepção:
1. Wilavan Apinyapon (THA) - 71,15%
2. Tatiana Kosheleva (RUS) - 68,75%
3. Aurea Cruz (PUR) - 67,35%

Melhores Líberos:
1. Jie-Youn Nam (COR) - 8,33
2. Nawal Mansouri (ARG) - 7,17
3. Brenda Castillo (DOM) - 7,14

fonte: fivb.com

Holanda x Itália - A partida dos poucos erros

A partida entre Holanda e Itália era uma das mais aguardadas desta primeira fase. As duas equipes se conhecem muito, a expectativa era de um jogo muito disputado. E foi exatamente isso que aconteceu. Uma das melhores partidas disputadas até agora neste Mundial, se não a melhor. Após o jogo, ambos os técnicos pareciam ter combinado os discursos, 'foi um jogo muito difícil e de pouquíssimos erros'. Sim, o baixo número de erros de ambas equipes chamou a atenção, o que fez a partida ser tecnicamente de um nível muito alta, aquilo que todo treinador deseja.


"Foi uma partida muito dura, uma partida em que ambas as equipes fizeram muitas defesas, não muitos erros. Provavelmente no quinto set, fizemos alguns bons pontos pela troca de bola. Foi uma partida muito dura, uma partida muito boa." disse Barbolini.

As palavras de Selinger não foram muito diferentes: "Foi uma grande partida. De altíssimo nível. Sabe, os técnicos se preocupam com cada erro. Mas não tiveram muitos erros. Quando você olha as estatísticas, basicamente sem muitos erros. Muitos saques difíceis de ambas as equipes. Grandes defesas de ambas as equipes. Podia ter ido para qualquer lado. No terceiro set, a Itália conseguiu a virada. No quarto, nós que viramos no final. O quinto set foi para eles, fizeram jogadas importantes nos momentos cruciais, e nós não. Sempre haverá um vencedor, e a Itália mereceu vencer pelo simples fato delas terem vencido. Esperamos que todos tenham gostado do jogo. É somente um dos 11 jogos, e temos que ir em frente e continuar."

fonte: fivb.com

Polônia derrotada novamente


A tradicional equipe da Polônia não conseguiu ainda sair vitoriosa de suas partidas, e acumula duas derrotas em dois jogos, o que pode preocupar se pensarmos em uma classificação futura. Mas os adversários que enfrentou até agora não eram simples de ser batidos, Japão e Sérvia estavam em seu caminho. Por isso, o técnico polonês Matlak tenta manter a calma diante da situação, "O mais importante é que a equipe esqueça deste início sem sorte. Temos que lembrar que estreamos contra a forte equipe da casa, e hoje jogamos contra uma forte equipe. Essa chave é difícil, mas não posso dizer que é a razão das nossas derrotas. Se comete muitos erros você mesmo, deve questionar a si mesmo". Já a líbero Zenik só espera que essas derrotas não influenciem numa possível classificação futura, "Estamos muito tristes por termos perdido a segunda partida seguida, especialmente porque ficou a impressão que tínhamos a vantagem. Esperamos que depois que a gente passe a segunda fase, essas duas derrotas não afetem nosso jogo no Mundial."

Enquanto isso, a equipe Sérvia não escondia a felicidade de ter batido o rival polonês, e conquistado mais uma vitória. O time, apesar de jovem, vem se apresentando bem na competição. "Qualquer time no mundo que vença a Polônia, seu técnico tem que estar muito feliz, e eu estou. Estou muito orgulhoso por minhas meninas e muito feliz por essa partida", ressaltou Terzic, técnico sérvio. A capitã Jelena Nikolic comentou sobre a maneira como o time sérvio vem jogando com velocidade nas partidas: "Somos jogadoras altas e nosso técnico insiste que joguemos o mais veloz possível, mas claro, não conseguimos jogar tão rápido quanto como equipes mais baixas. Nossa levantadora vem jogando muito bem este torneio."


Ognjenovic, levantadora sérvia 
elogiada por sua capitã
fonte: fivb.com

McCutcheon: "Jogamos muito melhor hoje"


A seleção americana mostrou grande evolução em seu jogo hoje comparado ao que apresentou hoje, agradando o técnico McCutcheon, que foi só elogios a sua seleção após a vitória por 3x0 em cima da Croácia. "Fiquei feliz com a atuação da equipe hoje. Acredito que nas áreas fundamentais jogamos muito melhor do que ontem. Isso é importante para nós", disse o técnico. A jovem levantadora Alisha Glass também foi elogiada pelo seu comandante: "Eu acredito que a Alisha tem grande futuro no time. Ela é capaz de criar na rede e fazer coisas que são especiais. No entanto, alguns dos seus fundamentos de levantamento precisam ser trabalhados. Dá para ver quando ela joga que ela é levantadora de primeira viagem, mas ela foi capaz de nos liderar em algumas boas apresentações no Grand Prix. Eu espero que ela continue crescendo a cada dia, mas é seu primeiro Campeonato Mundial e tenho certeza que ela está ansiosa. Ela esteve melhor hoje e espero que ela esteja ainda melhor amanhã."

Já para as croatas a derrota não é motivo de lamentos. A equipe sabe da inferioridade técnica diante do atual vice-campeão Olímpico e encara a partida como um grande aprendizado. "Não tem muito o que dizer. Eles foram a melhor equipe. Não há dúvidas que a equipe americana tem uma melhor equipe que a nossa. Eles têm muito mais experiência. É o primeiro Campeonato Mundial para todas as jogadoras do meu time. Mas estamos felizes de estar aqui e tenteremos fazer nosso melhor nos próximos jogos", comentou na sala de imprensa a central Maja Poljak. O técnico da Croácia, Aksentijevic, concordou com sua capitã: "OS EUA são uma das equipes mais fortes no mundo neste momento e tiveram uma ótima temporada este ano. Hoje, jogaram uma grande partida, especialmente na relação bloqueio, defesa. Nós não conseguimos começar jogando bem, mas também estávamos um pouco cansados depois do jogo de ontem, tendo jogado a última partida de ontem, e a primeira de hoje. Ontem usamos muito da nossa energia emocional. Hoje foi importante como um aprendizado. Temos que melhorar para chegar a um alto nível, e devemos jogar todas as partidas em alto nível, mas hoje não jogamos bem. Temos que esquecer o hoje e nos preparar para a próxima partida contra a Tailândia. ESpero que a gente possa jogar melhor amanhã."

fonte: fivb.com

Grupo D: Coréia surpreende


Resultados:

Rússia 3x1 Turquia (25-27, 25-22, 25-11, 25-17) - Estatísticas

Rep. Dominicana 0x3 Coréia do Sul (27-29, 23-25, 20-25) - Estatísticas

China 3x0 Canadá (25-16, 25-19, 25-10) - Estatísticas

A Rússia começou o jogo e parecia que não teria dificuldade em confirmar o favoritismo, mas depois de abrir 23-17, viu a Turquia reagir e virar o set. Apenas um pequeno susto para a atual campeã mundial, que a partir do segundo set retomou o controle da partida e não mais chances ao adversário e fechou o jogo em quatro sets. Gamova e Darnel mais uma vez foram os destaques de suas equipes. No segundo jogo, a República Dominicana parece que ainda estava sentindo a derrota no dia anterior para a Rússia. Cometendo muitos erros a equipe acabou cedendo a vitória para a Coréia, que teve em Kim, com 25 pontos, seu grande destaque. Outro time asiático ainda tinha que entrar em quadra. E a China não demorou muito para ganhar do Canadá. Com uma grande atuação de Wang e sem dar pontos em erros para seu adversário, o time chinês se recuperou da derrota de ontem para a Turquia. Já o Canadá tem mais três jogos para aproveitar o Mundial.

Classificação -
1. Rússia - 4 pontos (2-0)
2. Coréia - 4 pontos (2-0)
3. China - 3 pontos (1-1)
4. Turquia - 3 pontos (1-1)
5. Rep. Dominicana - 2 pontos (0-2)
6. Canadá - 2 pontos (0-2)

fonte: fivb.com

Grupo C: Sem espaço para erros


Resultados:

EUA 3x0 Croácia (25-16, 25-13, 25-23) - Estatísticas

Tailândia 3x1 Cazaquistão (25-16, 25-18, 20,25, 25-16) - Estatísticas

Cuba 0x3 Alemanha (24-26, 17-25, 23-25) - Estatísticas

A Croácia vinha de uma vitória histórica, mas hoje a superioridade técnica dos EUA falou mais alto. A equipe americana não estava disposta a promover nenhuma surpresa e foi muito agressiva durante todo o jogo, contando mais uma vez com uma bela atuação de Hooker e com uma Logan Tom bem mais eficiente do que ontem. O time croata lutou, como sempre, mas além da inferioridade teve que lidar com a contusão de Senna Usic, que torceu o pé no terceiro set, mas não parece ter sido muito grave. Os EUA seguem crescendo no campeonato. No segundo jogo, um confronto entre equipes que brigam pela quarta vaga do grupo. E a Tailândia conseguiu sua primeira vitória contra o Cazaquistão, que entregou 25 pontos em erros. E os pontos entregues de graça também decidiram o último jogo do dia. Cuba precisava se recuperar da partida com a Croácia, mas esbarrou nos próprios erros e teve que amargar mais uma derrota, dessa vez para Alemanha. O time europeu não precisou fazer muito, bastou ser regular para garantir a invencibilidade e seguir sonhando em ir longe nesse campeonato. A melhor jogadora da equipe foi a aniversariante Maggie Kozuch, que completou 24 anos e fez 15 pontos. Enquanto isso, Cuba já pode se preocupar para não correr risco de ficar fora da segunda fase.

Classificação -
1. Alemanha - 4 pontos (2-0)
2. EUA - 4 pontos (2-0)
3. Tailândia - 3 pontos (1-1)
4. Croácia - 3 pontos (1-1)
5. Cuba - 2 pontos (0-2)
6. Cazaquistão - 2 pontos (0-2)

fonte: fivb.com

Grupo A: Polônia em apuros


Resultados:

Costa Rica 3x0 Argélia (25-18, 25-21, 25-10) - Estatísticas

Sérvia 3x1 Polônia (19-25, 27-25, 26-24, 25-22) - Estatísticas

Japão 3x1 Peru (25-15, 25-17, 22-25, 25-14) - Estatísticas

O primeiro jogo do dia reunia os dois times menos badalados do grupo e a Costa Rica não precisou de muito para superar a Argélia em três sets. Melhor no bloqueio e muito mais regular que o adversário africano, a Costa Rica contou com as irmãs Willis para garantir a vitória, que com certeza será muito comemorada. O jogo seguinte era um dos clássicos europeus da rodada. A Sérvia começou bem, mas viu sua vantagem ir embora e junto com ela o primeiro set. Na segunda parcial a situação mudou e quem levou a virada foi a Polônia. O jogo seguia tenso, com algumas provocações na rede, e alternâncias no placar. A Sérvia jogou melhor em alguns momentos importantes e levou a vitória, complicando a situação polonesa no campeonato. Enquanto isso, o time da casa, diante de 11 mil torcedores passou pelo Peru. Apesar da derrota no terceiro set, o time japonês não teve dificuldade para fechar o jogo, sendo superior em todos os fundamentos. Grande destaque mais uma vez foi a ponteira Saori, que garantiu a segunda vitória do Japão na luta para chegas a semi-final.

Classificação -
1. Sérvia - 4 pontos (2-0)
2. Japão - 4 pontos (2-0)
3. Peru - 3 pontos (1-1)
4. Costa Rica - 3 pontos (1-1)
5. Polônia - 2 pontos (0-2)
6. Argélia - 2 pontos (0-2)

fonte: fivb.com

Grupo B: Haja coração!


Resultados:

Rep. Tcheca 2x3 Brasil (25-22, 22-25, 25-23,20-25,9-15) - Estatísticas

Quênia 0x3 Porto Rico (20-25, 23-25, 19-25) - Estatísticas

Holanda 2x3 Itália (25-18, 21-25, 23-25, 28-26, 12-15) - Estatísticas

Muitos poderiam acreditar que o Brasil teria vida fácil contra a República Tcheca, mas o que aconteceu foi um duelo entre opostas. O jogo foi muito equilibrado, os times tiveram números parecidos e se por um lado ninguém para Havlikoca, do outro era Sheilla quem coloca todas as bolas no chão. As européias fizeram um grande jogo, mas não resistiram à maior experiência brasileira. Infelizmente o torneio não valoriza a conquista dos dois sets e as tchecas somarão o mesmo ponto que somariam se não tivessem vencido nenhum set. O segundo jogo não foi tão bom quanto o primeiro. Com muitos erros dos dois times, o diferencial foi o potencial de ataque de Porto Rico, que, como esperado, saiu vitorioso do confronto. O Quênia aproveitou para se divertir mais uma vez. Se o jogo não foi dos melhores, o público não pode reclamar do que veio depois. Itália e Holanda proporcionaram uma partida emocionante. A Holanda jogou muito bem, teve um dia mais que inspirado de Manon Flier, que fez incríveis 35 pontos, mas acabou perdendo para a experiência italiana. O jogo foi marcado pela instabilidade. Levava vantagem quem conseguia ir bem na virada de bola, mas os times não erraram muito, o que deixou o jogo ainda melhor. O time holandês fechou sem dificuldade o primeiro set, enquanto a Itália levou vantagem no segundo. A partir daí a liderança do placar trocou de mãos várias vezes. Uma hora parecia que um sairia vencedor, logo depois mudava tudo e assim o jogo foi até o quinto set. Pela Itália, Gioli, Arrighetti e Barcellini, que substituiu Bosetti, foram muito bem. Os dois times seguem com chances no campeonato.

Classificação -
1. Brasil - 4 pontos (2-0)
2. Itália - 4 pontos (2-0)
3. Holanda - 3 pontos (1-1)
4. Porto Rico - 3 pontos (1-1)
5. Rep. Tcheca - 2 pontos (0-2)
6. Quênia - 2 pontos (0-2)

fonte: fivb.com

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Melhor do Dia - Quando uma vitória vale mais que 2 pontos



Na abertura do Mundial 2010, muita expectativa para ver os melhores times do mundo em ação. Todos esperavam para ver as grandes estrelas do voleibol desfilarem seu talento pelas quadras japonesas. Os favoritos ao título não tiveram muita dificuldade para conseguir suas vitórias e assim garantir dois pontinhos na classificação. Mas a grande beleza de um campeonato Mundial, o momento em que o esporte revela todo seu esplendor é quando uma vitória vale muito mais do que os dois pontos na tabela.

Quem nunca teve a oportunidade de acompanhar um time de perto, talvez não faça idéia de quanto sacrifício é necessário para se chegar à um campeonato desse nível. Talvez para Brasil, Itália, Rússia e EUA, a vitória hoje tenha sido apenas mais uma no caminho ao topo mais alto, mas para um time, em especial, uma vitória no Campeonato Mundial vale uma medalha de ouro.

A Croácia não jogava o Mundial desde 98, quando nenhuma jogadora do time tinha sequer 20 anos. Essas meninas cresceram sonhando em colocar sua seleção de volta no cenário internacional, sonhando um dia poder chegar ali, em um jogo do Mundial. Isso explica o comportamento das croatas hoje. Enfrentando um time cubano, que embora renovado, traz estampado no peito toda tradição de seu país, o jovem europeu não se intimidou. Entrou em quadra com a certeza que deixaria ali, independente do resultado, seu coração, sua alma. Lutariam até que caísse a última gota de suor.

Um time que sofre com as condições financeiras de sua federação, obrigado a fazer viagens de ônibus, porque não podem pagar pelo avião. Passam seis meses por ano sem receber um centavo para defender as cores de seu país, sem garantias, sem férias, sem amigos, sem familiares. Ao menos familiares de ‘sangue’, porque o grupo que essas meninas formam é sim uma grande família. E isso você pode ver na maneira como elas se olham em quadra, a maneira como se respeitam. Um time sem vaidades, onde não importa quem está jogando e sim o bem da equipe. E quem já viu esse time de perto sabe que não é da boca pra fora.

A Croácia hoje mostrou o que o esporte tem de mais bonito. Um time que não teve vergonha de comemorar uma “simples” vitória como se fosse um título, porque só elas sabem o quanto lutaram para chegar ali. Quantos sacrifícios, quantas privações. E parece que colocaram tudo para fora a cada ataque, a cada bloqueio. O olhar vibrante de Senna Usic, as veias saltadas de Maja Poljak, o sorriso de Sanja Popovic, a Croácia, hoje, mostrou que em um Mundial não é campeão apenas aquele que chega em primeiro. A Croácia conquistou uma vitória e sabe-se lá o que vai acontecer daqui até o final do campeonato, mas uma certeza elas já tem: VALEU A PENA!


E o time croata não foi o único a fazer um belo papel hoje. O time queniano, que enfrentou o Brasil, não parecia estar preocupado com a diferença técnica e entrou em quadra para se divertir. Com certeza com ainda mais dificuldades para jogar vôlei do que a Croácia, as jogadoras do Quênia parecem entender que já é um grande momento em suas vidas poder ir a outro país, em uma realidade completamente diferente da qual elas estão acostumadas, jogar o Mundial vira um "mero" detalhe. Elas riram, vibraram e mesmo sem almejar uma vitória tenho certeza que elas voltarão para casa muito realizadas. Que dia para o esporte!

Mundial 2010: Programação 30/11

Grupo A:

1:30h Costa Rica x Argélia
4:00h Sérvia x Polônia
7:00h Japão x Peru

Grupo B:

2:00h Brasil x República Tcheca
4:30h Quênia x Peru
7:00h Holanda x Itália

Grupo C:

2:00h EUA x Croácia
4:30h Tailândia x Cazaquistão
7:00h Cuba x Alemanha

Grupo D:

2:00h Rússia x Turquia
4:30h República Dominicana x Coréia
7:00h China x Canadá

Onde assistir:

Novamente você podem utilizar os links que disponibilizamos anteriormente. O www.livescorehunter.com está passando todos os jogos, e é nossa indicação quem quiser achar bons links. O www.fromsport.com é outro canal que está disponibilizando links apra assistir aos jogos, é só entrar no site próximo ao início dos jogos.



NTV Spor - http://wwitv.com/tv_channels/b5851.htm e http://tv.voleybolx.com/
2:00h Rússia x Turquia
4:00h Sérvia x Polônia
7:00h Holanda x Itália

Bosetti e Cardullo comentam estréia italiana



A emoção da estréia é um grande incentivo?

Bosetti: Sim, com certeza, porque nos preparamos para essa competição por tanto tempo e a ansiedade não tem como evitar, porque estamos falando de um Mundial. Estou muito feliz porque conseguimos superar esse jogo, depois do primeiro set, onde cometemos alguns erros. E agora já pensamos no próximo jogo.

Vocês tiveram alguns apagões, onde tínhamos o set nas mãos e alguns erros complicaram, mas por sorte no final vocês conseguiram recuperar.

Bosetti: Sim, no primeiro set tivemos alguns momento com dificuldade na recepção e uma ansiedade na virada de bola, mas depois nos recuperamos bem, fechamos o set e os dois seguintes.

Holanda, será diferente se comparado a Porto Rico?

Bosetti: A Holanda nós conhecemos bem, já jogamos tantas vezes. É um time muito completo. Devemos jogar bem os nosso pontos fortes, fazer bem a virada de bola, a relação bloqueio e defesa.. tudo.. (risos)



O quanto esperou por esse momento? Jogar uma partida de um Mundial, depois de tanto sofrimento.

Cardullo: É, esperei muito e, sobretudo, não sabia se aconteceria, porque depois da operação, não sabíamos se conseguiríamos recuperar a tempo ou não. Então, a minha satisfação é praticamente dupla, posso dizer, porque estou aqui, posso jogar e tentaremos fazer o melhor possível.

Essa partida como foi, do ponto de vista técnico?

Cardullo: Acho, que pelo time, talvez tenhamos feito alguns erros a mais no primeiro set, saímos um pouco com o freio de mão puxado. Depois, quando nos soltamos, cortamos os erros bobos, e o resultado mostra, fomos bem melhor. No que diz ao meu respeito, ainda estou um pouco atrás tecnicamente, mas tentarei me recuperar no menor tempo possível.

Deverá ser rápida, porque amanhã tem a Holanda, com certeza um time mais difícil que Porto Rico.

Cardullo: Amanhã, com certeza, será um jogo mais duro que o de hoje. Mas acredito que temos todas as possibilidades de ir bem. Eu pessoalmente estou muito feliz que as minhas companheiras estão me ajudando muito, nos meus momentos de dificuldade, sabendo da minha situação, e isso me deixa mais serena e tranquila.

Você tem um fã-clube especial, de japoneses que te acompanham sempre.

Cardullo: Sim, eu não sei como eles fazem, mas eles estão sempre, onde quer que seja no Japão, pode ser em Tóquio você os verá lá, eles sempre estão. É claro que eu gosto muito.

fonte: volleyball.it

Robin Round League de volta neste fim de semana


Neste fim de semana acontece mais um torneio da Robin Round League na Itália. Ao todo diversos mini campeonatos estão sendo disputados entre as equipes, e o clube com maior pontuação ao final desta Liga garante uma vaga direta nas quartas de final da Coppa Itália. Nesses dia 30 e 31 acontece o 'Torneo Piero e Franco Rebecchi', em Piacenza. Como acontece com todos os eventos da Robin Round League, o Torneo Piero e Franco Rebecchi contará com a participação de quatro clubes. No sábado acontece as semifinais, em jogos predeterminados, e os vencedores destes jogam a final domingo.

Equipes participantes:
Yamamay Busto Arsizio
LIU•JO Volley Modena
Riso Scotti Pavia
Rebecchi Nordmeccanica Piacenza

Calendário:

30/11
15:30h LIU•JO Volley Modena x Yamamay Busto Arsizio
18:00h Riso Scotti Pavia x Rebecchi Nordmeccanica Piacenza

31/11
15:30h 3ºx4º
18:00h Final

fonte: site da Lega

Piccinini: Corrida contra o tempo

Piccinini abatida hoje no ginásio para
acompanhar de fora Itália x Porto Rico

Após os 4 desfalques já antes do início do torneio, agora a Itália luta contra a dura realidade de sua atacante Francesca Piccinini, que corre contra o tempo para tentar se recuperar de um lesão muscular. Segundo Barbolini, a ponteira só deve retornar aos treinos de ataque de bola no dia 1º de novembro, quandos as seleções tem um dia de descanso, e sua volta as quadras só deve acontecer para a partida contra a República Tcheca no dia 02/11. Mas, dependendo da evolução das dores, é possível que Piccinini se sacrifique para atuar em um jogo mais importante. Vamos aguardar mais notícias, e ver se a jogadora está em quadra amanhã contra a Holanda.

fonte: grupo de Francesca Piccinini no facebook

Mundial 2010 - Estatísticas: As melhores do 1º dia

Este foi somente o primeiro dia de competições, com alguns jogos já emocionantes. E não há tempo a perder, as jogadoras já começam a se despontar nas estatísticas. Vamos colocar aqui as jogadoras que se destacaram em cada fundamento nesta primeira rodada.

Maiores Pontuadoras:
1. Destinee Hooker (EUA) - 28 pnts
2. Neslihan Darnel (TUR) - 26 pnts
3. Saori Kimura (JPN) - 25 pnts

Melhores Atacantes:
1. Jessenia Uceda (PER) - 73,33%
2. Ivana Plchotova (CZE) - 70,59%
3. Yulissa Zamudio (PER) e Sanja Popovic (CRO) - 66,67%

Melhores Bloqueadoras:
1. Ivana Plchotova (CZE) - 1.67 (5 bloqueios)
2. Heather Bown (EUA) - 1.50 (6 bloqueios)
3. Maria Perepelkina (RUS) - 1.50 (6 bloqueios)

Melhores Sacadoras:
1. Elena Keldibekova (PER) - 1.33 (4 aces)
2. Kathleen Weiss (ALE), Jaqueline (BRA) e Milena Rasic (SRB) - 1.00 (3 aces)
5. Eleonora Lo Bianco (ITA) - 0.67 (2 aces)

Melhores Defensoras:
1. Fabi (BRA) - 5.00 (15 defesas)
2. Gulden Kuzubasioglu (TUR) - 4.50 (18 defesas)
3. Kerstin Tzscherlich (ALE) - 4.33 (13 defesas)

Melhores Levantadoras:
1. Sa-Nee Kim (COR) - 13.33
2. Naz Aydemir (TUR) - 13.00
3. Qiuyue Wei (CHN) - 12.75

Melhores na Recepção:
1. Suzana Cebic (SRB) - 83,33%
2. Liubov Sokolova (RUS) - 80,00%
3. Sassá (BRA) - 76,47%

Melhores Líberos:
1. Julie Young (CAN) - 9.00
2. Fabi (BRA) - 8.33
3. Jie-Youn Nam (COR) - 7.33



fonte: fivb.com

Grupo D - A esperança só durou um set


Resultados -

Rússia 3x1 Rep. Dominicana (21-25, 25-9, 25-17, 25-11) - Estatísticas

Canadá 0x3 Coréia do Sul (19-25, 19-25, 14-25) - Estatísticas

Turquia 3x1 China (19-25, 25-14, 25-20, 25-17) - Estatísticas

A Rússia demorou um set para se lembrar que o Mundial já tinha começado. Mas também quando se lembrou não deu mais chance a boa equipe dominicana. Comandadas por Gamova, a equipe russa mostrou porque é apontada por muitos como favorita ao título. Teve no bloqueio seu ponto forte, com 21 pontos. As dominicanas começaram bem, mas o excesso de erros comprometeu o desempenho do time ao longo do jogo e facilitou a vitória russa. Na segunda partida um duelo de estrelas solitárias, Pavan x Kim, mas quem brilhou foi Hwang Youn-Joo, que, com 19 pontos, ajudou a Coréia a ganhar por 3 a 0, com certa facilidade. O Canadá errou muito e, diferente do que aconteceu com o time coreano, as coadjuvantes de Sarah Pavan não a ajudaram. O melhor foi guardado para o final. Em um grande jogo, com poucos erros, a Turquia garantiu mais uma vitória européia, ao bater a China. A grande estrela do time não decepcionou. Com 26 pontos, Darnel foi a maior pontuadora da partida e um dos destaques, ao lado da levantadora Naz. A China, com um time renovado, só conseguiu fazer frente à Turquia no primeiro set e agora vê a semi-final um pouco mais distante.

Classificação:
1. Rússia - 2 pontos (1-0)
2. Coréia - 2 pontos (1-0)
3. Turquia - 2 pontos (1-0)
4. China -1 ponto (0-1)
5. Canadá - 1 ponto (0-1)
6. Rep. Dominicana - 1 ponto (0-1)

fonte: fivb.com

Grupo C: Em grupo de EUA e Alemanha, Croácia rouba a cena


Resultados:

Alemanha 3x0 Cazaquistão (25-21, 25-14, 25-16) - Estatísticas

EUA 3x1 Tailândia (23-25, 25-17, 25-17, 25-21) - Estatísticas

Croácia 3x0 Cuba (25-23, 34-32, 25-21) - Estatísticas

A seleção da Alemanha abriu o grupo C em grande estilo. Além de uma vitória convincente contra o Cazaquistão, o time pode contar com a volta de sua capitã. Furst voltou e parece ter recuperado a velha forma. A jogadora fez 10 pontos e, ao lado de Kozuch e Brinker, garantiu a vitória alemã. Já os EUA tiveram mais dificuldade. Entraram em quadra com a expectativa de repetir as atuações do Grand Prix e viram uma Tailândia disposta a estragar sua festa. Mas o susto durou pouco. Com muitos erros, a equipe americana perdeu o primeiro set. Apesar da atuação apagada de Logan Tom, os EUA tem Destinee Hooker. A jovem estrela marcou 28 pontos e deu a vitória para seu país. Mas a grande surpresa ainda estava por vir, pelo menos para quem não conhecia o time croata. A seleção com muitos talentos, mas que ainda não conseguiu um resultado a altura, entrou nesse Mundial sonhando com a segunda fase. E deu o primeiro passo para isso. Com grande atuação de seus três pilares: Poljak, Popovic e Usic, a Croácia bateu Cuba, que mais uma vez cometeu muitos erros, em sets diretos.

Classificação:
1. Alemanha - 2 pontos (1-0)
2. EUA - 2 pontos (1-0)
3. Croácia - 2 pontos (1-0)
4. Cuba - 1 ponto (0-1)
5. Tailândia - 1 ponto (0-1)
6. Cazaquistão - 1 ponto (0-1)

fonte: fivb.com

Grupo B: Favoritos fazem sua parte


Resultados:

Brasil 3x0 Quênia (25-15, 25-16, 25-11) - Estatísticas

Rep. Tcheca 0x3 Holanda (24-26, 20-25, 14-25) - Estatísticas

Porto Rico 0x3 Itália (20-25, 11-25, 14-25) - Estatísticas

O Brasil estreou contra o adversário mais fraco do grupo e, apesar de alguns erros bobos, normais para o primeiro jogo do campeonato, não teve muita dificuldade para fechar a partida. Pode até poupar algumas jogadoras, como Natália e Sheilla. Já a Holanda tinha uma estréia um pouco mais complicada. Jogos entre europeus sempre podem surpreender. A República Tcheca joga esse Mundial sem muita pressão, com um time com alguns talentos, mas ainda muito jovem, e complicou a vida holandesa no primeiro set. No final a maior experiência das "laranjas" fez a diferença e a equipe fechou a partida em 3 sets, com uma grande atuação da oposta Manon Flier, que anotou 21 pontos. A Itália entrou no campeonato como uma das favoritas, mas já na estréia não pode contar com Piccinini, que ainda se recupera de uma contusão muscular, mas sua substituta, Lucia Bosetti, deu conta do recado e garantiu a vitória para seu time, com 16 pontos. O jogo começou tenso e Porto Rico abriu vantagem, mas no fim a experiência italiana prevaleceu, em um jogo apagado de Aurea Cruz.

Classificação:
1. Brasil - 2 pontos (1-0)
2. Itália - 2 pontos (1-0)
3. Holanda - 2 pontos (1-0)
4. Rep. Tcheca - 1 ponto (0-1)
5. Porto Rico - 1 ponto (0-1)
6. Quênia - 1 ponto (0-1)

fonte: fivb.com

Grupo A: Emoção só no final


Resultados:

Peru 3x0 Argélia (25-16, 25-12, 25-18) - Estatísticas

Sérvia 3x0 Costa Rica (25-15, 25-18, 25-14) - Estatísticas

Polônia 2x3 Japão (28-26, 25-21, 20-25, 23-25, 12-15) - Estatísticas

A abertura do Campeonato Mundial coube à Peru e Argélia. Não era exatamente o jogo dos sonhos para os fãs de vôlei. As duas equipes estão em um nível abaixo do que a maioria dos times do campeonato e o jogo foi marcado pelo excesso de erros. No final, melhor para o Peru, que se valeu da inocência das jogadoras da Argélia. No segundo jogo do grupo, a Sérvia não deu espaço para zebra. Beneficiado pelo talento de sua levantadora, a equipe pode jogar bastante com as centrais, tendo em Krsmanovic a maior pontuadora do time, e com um bom saque garantiu a vitória em três sets. No último jogo do grupo, a Polônia parecia disposta a estragar a festa das donas da casa. Abriu 2 a 0, com uma atuação quase impecável de Werblinska e Kaczor. Mas o longo intervalo antes do terceiro set, que acontece nos jogos do Japão, esfriou o time polonês, que passou a errar demais e viu a vitória que era certa mudar de lado. Apoiado por uma torcida inflamada e com Saori e Inoue inspiradas, as donas da casa garantiram os dois pontos, na volta de Kurihara à equipe.

Classificação:
1. Peru - 2 pontos (1-0)
2. Sérvia - 2 pontos (1-0)
3. Japão - 2 pontos (1-0)
4. Polônia - 1 ponto (0-1)
5. Costa Rica - 1 ponto (0-1)
6. Argélia - 1 ponto (0-1)

fonte: fivb.com

Mundial na internet

Quem não estiver conseguindo ver os jogos pelo myp2p.eu, devido a restrições as transmissoes no Brasil, também pode tentar por aqui:


Eles estão anunciando todos os jogos do dia... por enquanto aqui está funcionando bem!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Mundial 2010: onde acompanhar na internet

Se você quer acompanhar outros jogos deste Mundial, existem diversos sites que irão transmitir pela internet os jogos Abaixo um lista de sites e os horários dos jogos de hoje.

Todos os jogos da seleção holandesa serão transmitidos pelo site www.volleybal.tv
29/10 - 5:15h: Holanda x República Tcheca
30/10 - 7:00h: Holanda x Itália
31/10 - 7:00h: Holanda x Brasil
02/11 - 5:15h: Holanda x Quênia

O site turco http://tv.voleybolx.com irá transmitir 4 partidas nesta madrugada (29/10):
2:30h: Rússia x República Dominicana
4:00h: Sérvia x Costa Rica
5:15h: Holanda x República Tcheca
7:45h: Turquia x China

A tv turca NTV spor vai passar todos os jogos da Turquia neste mundial, e também outras partidas. Nesta madrugada vocês podem acompanhar ao vivo no canal Rússia e República Dominicana e Turquia e China, neste link - http://wwitv.com/tv_channels/b5851.htm

Para quem quiser mais qualidade, o site www.livesportsevent.com irá transmitir todos os jogos deste Mundial pela internet, mas o site é pago, tem que pagar 12,95 dólares pelo paypal.

Quem também irá transmitir todos os jogos do Mundial é o site www.myp2p.eu quando faltarem duas horas para as partidas o site disponibiliza o link para acompanhar as partidas. As vezes o site exige que se tenha o programa soapcast para abrir os links, mas eu não sei se será o caso do Mundial ainda.

Programação da 1ª rodada:
Grupo A -
1:30h Peru x Argélia
4:00h Sérvia x Costa Rica
7:45h Polônia x Japão

Grupo B -
2:30h Brasil x Quênia
5:15h Holanda x República Tcheca
7:45h Itália x Porto rico

Grupo C -
2:30h Alemanha x Cazaquistão
5:15h EUA x Tailândia
7:45h Croácia x Cuba

Grupo D -
2:30h Rússia x República Dominicana
5:15h Canadá x Coréia
7:45h Turquia x China

Mundial 2010: Tá chegando a hora...

Faltam poucas horas para o começo de mais um Campeonato Mundial de Voleibol feminino, que promete ser muito emocionante para todos os amantes do esporte. Enquanto o momento tão aguardado não chega, vamos colocar alguns aperitivos aqui para passar o tempo.. rs



Os números nem sempre dizem tudo, principalmente no esporte. Mas as vezes trazem informações interessantes. Fizemos uma análise das médias de altura e idade das seleções. Será que eles revelam alguma coisa?

Japão - 1,74m - 25,8 anos
Sérvia - 1,86m - 24 anos
Polônia - 1,83m - 25,9 anos
Peru - 1,77m - 26,4 anos
Argélia - 1,77m - 23,2 anos
Costa Rica - 1,78m - 25,5 anos
Brasil - 1,84m - 25,6 anos
Itália - 1,81m -26,4 anos
Holanda - 1,87m - 26,1 anos
Quênia - 1,77m - 26 anos
Porto Rico - 1,86m - 23,6 anos
Rep. Tcheca - 1,87m - 24,1 anos
EUA - 1,84m - 26,8 anos
Cuba - 1,85m - 21,4 anos
Alemanha - 1,83m - 24,9 anos
Cazaquistão - 1,85m - 26,2 anos
Tailândia - 1,86m - 22,7 anos
Croácia - 1,84m - 25,3 anos
China - 1,86m - 23,5 anos
Rússia - 1,88m - 25,7 anos
Coréia - 1,81m - 25,3 anos
Rep. Dominicana - 1,82m - 23,6 anos
Turquia - 1,85m - 24,3 anos
Canadá - 1,84m - 24,1 anos

A média geral do campeonato é de 1,83m e 24,9 anos.

Hoje a noite teremos alguns jogos interessantes. Alguns confrontos tem ampla vantagem de um time, outros acontecerão pela primeira vez. Veja o retrospecto:

Grupo A -
Peru x Argélia - Nunca se enfrentaram
Sérvia x Costa Rica - Nunca se enfrentaram
Polônia x Japão - 12 vitórias do Japão, 6 da Polônia

Grupo B -
Brasil x Quênia - 5 vitórias do Brasil
Rep. Tcheca x Holanda - 3 vitórias da Holanda
Porto Rico x Itália - 3 vitórias da Itália

Grupo C -
Alemanha x Cazaquistão - 2 vitórias da Alemanha
EUA x Tailândia - 11 vitórias americanas, 1 da Tailândia
Croácia x Cuba - 4 vitórias de Cuba

Grupo D -
Rússia x Rep. Dominicana - 5 vitórias da Rússia
Canadá x Coréia do Sul - 10 vitórias coreanas
Turquia x China - 1 vitória da China

Será que teremos alguma surpresa?

fonte: fivb.com

Mundial: O que foi dito neste último dia antes da estréia

Hoje é o último dia ates da estréia do Mundial, e os treinadores de todas as seleções de cada grupo compareceram a sala de imprensa . Vamos ao que alguns deles falaram antes da primeira partida, que acontece está madrugada no Brasil.


Grupo A - Japão, Polônia, Sérvia, Costa Rica, Argélia, Peru

Terzic (SRB): "Nunca jogamos contra a Costa Rica. Mas se você quer jogar em alto nível, deve jogar cada partida com 100% do seu poder. Vamos começar a jogar dessa forma amanhã. Somos uma equipa jovem, mas esperamos dar tudo durante todo o torneio."; "Não importa se é a Costa Rica ou outro time. O Campeonato Mundial é o Campeonato Mundial, os jogos não são amistosos. Se a Sérvia quer ganhar amanhã, temos que fazer nosso melhor."

Manabe (JPN): "As outras cinco equipes (no Grupo A) são muito fortes. Essa é a minha motivação. Devemos dar o nosso melhor esforço em cada jogo. Será necessário nossa força total para alcançarmos um bom resultado. Vamos ter 11 jogos em 17 dias, então é uma competição difícil."; "Minha impressão da Polônia é que elas são muito fortes, com uma grande vantagem na altura. Portanto, para vencê-las é difícil, mas temos que entregar o nosso próprio estilo japonês de Voleibol"

Matlak (POL): "É muito simples. Nós queremos jogar o nosso melhor e conseguir o lugar mais alto possível no torneio."; "O Japão é um dos favoritos, talvez até um favorito para uma medalha. Temos uma série de vantagens para ganhar contra o Japão, eu só espero que possamos fazê-lo."



Grupo B - Brasil, Itália, Holanda, República Tcheca, Porto Rico, Quênia

Barbolini: "Pedi as minhas jogadoras para ir jogo a jogo e considerar cada estágio separadamente"; "Nossa preparação principal foi durante as partidas do FIVB World Grand Prix, bem como as do qualificatório Europeu, como nós trabalhamos como uma equipe em todos os aspectos técnicos e táticos. Realmente fomos colocados em um grupo difícil e por isso temos que estudar bem cada equipe"; "É um grupo muito forte, e termos partidas difíceis a frente. Estamos preparados para começar. Eu tenho certeza que minha jogadoras vão dar o melhor delas."

Barbolini quanto a forma do torneio: "Essa fórmula é uma boa fórmula. Seria melhor se ao final as melhores quatro equipes se qualificassem as quartas de final, não somente os dois melhores. Mas no fim, a melhor equipe do mundo será a campeã, então acho que é boa."

Selinger: "A minha equipe está em grande forma e muito ansiosa para começar a competição. Vamos nos concentrar para tentar mostrar o nosso alto nível de vôlei todos os dias. Neste grupo com tantas equipes fortes, será muito difícil prever o resultado final da partida. A única coisa que tenho certeza é que minhas jogadorss vão fazer o máximo para obter o melhor resultado em cada jogo."


Grupo C - EUA, Alemanha, Cuba, Croácia, Cazaquisção, Tailândia

McCutcheon (EUA): "Foi muito importante para nós ter esse resultado. Foi um sucesso enorme para nós, considerando que nem sequer chegamos a fase final a um ano atrás. Mas entendemos que são tantas equipes fortes aqui. Nós não nos consideramos favoritos aqui. Nosso objetivo é tentar e continuar a evoluir como equipe, para jogar o nosso melhor (nas Olimpíadas) em 2012."


Grupo D - Rússia, China, Turquia, República Dominicana, Canadá

Yu Juemin (CHN): "Esta competição só acontece uma vez a cada quatro anos. Quero fazer disso um teste para as minhas jogadoras porque temos algumas jogadoras novas."

Bedestenlioglu (TUR): "Estamos orgulhosos de estar no Japão. Estamos em um grupo difícil. Nossa meta é avançar até a próxima fase."

Kuzyutkin (RUS): "Temos quase uma equipe totalmente nova daquela campeã mundial. Costumamos ter três ou quatro novas jogadoras para um evento como este, mas há dois anos, nós substituímos metade da equipe. Nosso objetivo é jogar um bom voleibol. Devo garantir que as nossas novas jogadoras ganhem a experiência necessária para atuar a este nível"; "Temos uma forte mistura de jogadoras experientes e jovens"; "Você pode perder ou pode ganhar, mas a coisa mais importante é que você se concentre"; "É necessário estar absolutamente preparado para os momentos decisivos. Nós conhecemos as nossas forças, mas também estamos conscientes do poder dos nossos adversários."

Marcos Kwiek (DOM): "Nós somos um dos melhores 24 times do mundo. O grupo D é forte e temos uma equipe jovem. Estamos bem preparados. Tenho a intenção de trazer o melhor das minhas jogadoras."



fonte: fivb.com