segunda-feira, 30 de agosto de 2010

FIVB atualiza Ranking Mundial

Com o fim do Grand Prix, a FIVB atualizou o Ranking Mundial. Mas confesso que após ver a Alemanha cair 6 posições e ficar apenas em 15º fica difícil dar muita credibilidade a esta listagem. Não que a Alemanha tivesse ido bem no Grand Prix, porque realmente não foi, mas ficar atrás da Argélia me parece exagero, e acredito que um tanto injusto. O Brasil segue na liderança. As americanas, com o ouro no Grand Prix, subiram 2 posições e agora aparecem na segunda colocação no ranking. Quem também subiu foi a seleção Italiana, da 7º para a 4º posição. Outras seleções caíram, foi o caso da Rússia que desceu 4 posições e agora só se encontra na 7º colocação, e a Holanda que está em 10º, caindo duas posições. A Polônia que tem o "agrado" da FIVB subiu 3 posições e está em 8º, a frente de possíveis competidores europeus para a vaga nas Olimpíadas, como Holanda, Sérvia e Alemanha. A tabela abaixo mostra um pouco do sobe e desce do Ranking, faça suas próprias análises.


Quem quiser acompanhar a lista oficial por inteiro, basta acessar o link no site da FIVB - http://www.fivb.com/en/volleyball/Rankings/VB_Ranking_W_2010-08.asp

fonte: fivb.com

Trailer Oficial - "Maschi Contro Femmine"

Foi lançado oficialmente na Itália o trailer do filme "Maschi Contro Femmine"! Para quem não veio acompanhando, a história desta comédia romântica tem como pano de fundo as quadras de voleibol, já que conta as relações amorosas entre um treinador de um time de vôlei feminino e uma de suas jogadoras. Para realizar as gravações, a produção do filme utilizou a ajuda de um clube de verdade, o Asystel Novara, que participou da montagem. Durante toda a última temporada diversas cenas foram feitas no ginásio do Novara, utilizando suas jogadoras, fosse nas partidas válidas pelo campeonato italiano, fosse em cenas elaboradas no tempo livre das mesmas. O resultado final parece ser uma agradável comédia, e ainda por cima podemos ver algumas das estrelas internacionais do vôlei na telona, mesmo que rapidamente. O filme está programado a chegar aos cinemas italianos dia 29 de outubro.


Abaixo você confere o trailer oficial -




fotos: asystelvolley.com

Time austríaco assina com americanas

Com o fim do Grand Prix, as americanas parecem estar mesmo em alta, mesmo sem fazer parte do grupo ouro em Ningbo, 5 americanas do elenco de McCutcheon deste ano fecharam com a equipe do SVS Post Schwechat. Foram elas a levantadora Courtney Thompson, as ponteiras Jill Collymore e Angela Pressy, a líbero Tamari Miyashiro, e a central Alexis Crimes.

Além delas, o clube austríaco assinou também com a levantadora da seleção da Eslováquia, Ivana Zburova.

fonte: inside-volley.com (valentine)

domingo, 29 de agosto de 2010

Grand Prix 2010 chega ao fim.


Classificação Final:

1. EUA
2. Brasil
3. Itália
4. China
5. Japão
6. Polônia
7. Holanda
8. República Dominicana
9. Alemanha
10. Tailândia
11. Porto Rico
12. Taiwan


Premiações Individuais:


Maior Pontuadora - Saori Kimura (Japão)
Melhor Atacante - Jaqueline Carvalho (Brasil)
Melhor Bloqueio - Foluke Akinradewo (EUA)
Melhor Saque - Yimei Wang (China)
Melhor Levantadora - Alisha Glass (EUA)
Melhor Líbero - Xian Zhang (China)

MVP - Foluke Akinradewo (EUA)


Nota:
Alguns de vocês podem ter reparado na ausência da levantadora italiana Eleonora Lo Bianco durante a premiação. A jogadora sentiu leves dores nas costas, um problema sério e recorrente para a levantadora que tem três hérnias de disco. Na última temporada as dores deixaram Lo Bianco fora de boa parte do campeonato italiano, e quase comprometeu sua temporada. Hoje, durante a partida contra a Polônia, Lo Bianco voltou a sentir dores, e por isso a comissão técnica optou por deixá-la no hotel descansando após o jogo ao lado do fisioterapeuta da equipe, e daí sua ausência no pódio. Ao falar sobre, Barbolini parece tranquilo, disse que a decisão foi meramente preventiva, já que a jogadora tem um histórico, e que as dores relatadas não foram fortes, mas que mesmo assim decidiram deixar a jogadora descansando e se tratando. Nós do blog deixamos aqui nosso desejo que não seja nada sério, e que logo Lo Bianco possa estar em quadra mais uma vez com suas companheiras.

Fotos da Premiação:






fonte: fivb.com

EUA campeão do Grand Prix 2010!


Japão 0x3 EUA (24-26, 20-25, 23-25) - Estatísticas

O jogo de abertura era o mais aguardado da rodada. Os EUA entraram em quadra precisando de apenas dois sets para se sagrar tri-campeão do Grand Prix. O Japão já havia batido dois dos favoritos, Brasil e Itália, nessa fase final e entrou em quadra disposto a provocar mais uma zebra. Logo no início do set a equipe japonesa conseguiu abrir uma vantagem. Estaria os EUA sentindo a pressão? Bem, se estavam elas conseguiram controlar os nervos e foram se recuperando ao longo do set. Sempre que se encontrava em uma situação complicada, a jovem levantadora Glass procurava por Hooker, que virava tudo, especialmente nos finais de sets. O jogo era disputado ponto a ponto, com muito equilíbrio, mas o bloqueio americano mais uma vez fez a diferença e os EUA fecharam o set.
A vitória trouxe um pouco de tranquilidade para as americanas que diminuiram o número de erros. O set era equilibrado até a metade, quando a parede formada na rede americana deixou os EUA muito próximo do título. O set acabou, vitória americana, mas sequer uma comemoração. Parece que o técnico McCutcheon convenceu suas atletas da importância de vencer o jogo, até porque outros times dependiam do resultado do jogo.
Os EUA voltaram para o terceiro set com o time titular e a mensagem parece ter sido compreendida. Apesar de um começo de set disperso, a equipe americana, comandada e contagiada pela líbero Sykora, se recuperou e muito concentrada lutava por todas as bolas. O set permaneceu equilibrado até o final, mas as americanas não queriam esperar mais para comemorar. Fim de set, fim de jogo, título americano com muito mérito. O time apresentou um grande voleibol e completou 11 vitórias consecutivas. O Japão também tem o que comemorar nesse Grand Prix, o time teve grandes atuações e vai empolgado para o Mundial.


Itália 3x1 Polônia (23-25, 25-15, 25-23, 25-17) - Estatísticas

O clássico europeu podia valer uma medalha de bronze, mas para isso precisavam de derrotas de Japão e China. A primeira já havia acontecido. A segunda elas só descobririam depois. Então, a partida valia ao menos não ser o último colocado e se despedir de maneira honrosa.
As equipes entraram em campo e a Itália vinha com uma novidade: Simona Gioli como oposta e Crisanti pelo meio. O técnico Barbolini já havia anunciado que gostaria de fazer esse teste durante essa temporada na busca de uma opção depois da saída de Aguero, mas ainda não havia colocado seu plano em prática. Pode ser uma boa ideia, mas não funcionou muito hoje. A Polônia começou muito bem o jogo, contando com os ataques de Baranska. A Itália seguia errando e parecia que as dificuldades dos dias anteriores não tinham diminuido. Mas o time polonês errou demais e recolocou sua adversária no jogo. Skowronska entrou em quadra para fechar o set para sua equipe.
Barbolini percebeu que sua tentativa não tinha dado certo e entrou no segundo set com Rondon como levantadora, Ortolani de oposta e Gioli voltou para o meio. A mudança funcionou e o time italiano parecia mais alegre em quadra. Tudo voltou a funcionar. Com defesas e conseguindo, enfim, virar as bolas a Itália fechou sem muita dificuldade.
O terceiro set foi equilibrado do início ao fim e só foi definido em um bloqueio italiano.
A Polônia começou melhor o quarto set e abriu uma larga vantagem, mas mais uma vez deixou a Itália reagir. A recuperação animou a Itália, que perdia por 12-5 e fechou em 25-17.
Uma vitória importante para o time de Barbolini, que estava perdido com as más atuações que vinha tendo. Com a derrota da China no jogo contra o Brasil a seleção italaliana deixará a China com a medalha de bronze. Depois dos jogos que fizeram não deixa de ser um bom resultado.
Já a Polônia alternou bons e maus momentos e pagou o preço dessa irregularidade, mas o time ainda pode melhorar para o Mundial. Skowronska deve chegar em melhor forma ao campeonato mais importante do ano.


China 0x3 Brasil (12-25, 16-25, 15-25) - Estatísticas

Com a vitória americana no primeiro jogo os dois times já entraram em campo sabendo que não podiam mais ser campeões. Mas não é por isso que o jogo não valia nada. O Brasil, já garantido no pódio, lutava pela prata. A China, com a vitória da Itália, poderia perder inclusive o bronze.
O ginásio estava cheio para ver o time da casa, mas não foi um dia feliz para a torcida chinesa. No aquecimento se viu que a até então melhor levantadora do campeonato Wei não iria jogar. Sem ela a China não teve forças para segurar o Brasil e seu poderio de ataque, especialmente pelas mãos de Jaqueline.
O time chinês passou muito mal e com isso teve muitas dificuldades no ataque. O Brasil defendia bem, em mais uma grande atuação de Fabi, que cresceu muito na fase final, e passou pela China sem nenhuma dificuldade.
Depois de tantos contratempos nessa semana o Brasil deve comemorar essa medalha e encarar o torneio com o preparatório para o Mundial. Com certeza o Grand Prix foi um bom teste para jogadoras como Fabíola e Natália.
A China, que conseguiu uma bonita recuperação chegando ao último dia com chances de título, sentiu falta de sua levantadora e não pode oferecer nenhuma resistência ao atual campeão olímpico.

Estados Unidos ouro, Brasil prata e Itália bronze. Assim termina mais uma edição do Grand Prix. Já esperamos pelo próximo, que promete ser bem interessantes com as mudanças prometidas.

fonte: fivb.com

sábado, 28 de agosto de 2010

Grand Prix 2011 - Confirmado 16 seleções e Brasil ganha Wild Card


O conselho da Federação Internacional se reuniu hoje em Ningbo na China, com a presença do presidente da FIVB, senhor Jizhong Wei e também o presidente do conselho do Grand Prix, senhor Masao Tachiki. Os membros do conselho entraram em acordo sobre a reforma para a próxima edição do torneio, que irá contar com 16 seleções e não mais somente 12. A recomendação irá ainda passar pela administração da FIVB em um encontro em Roma dia 7 de setembro para aprovação final. Mas a aprovação já é dada como certa.

O presidente da Federação, senhor Jizhong Wei comentou: "Queremos aumentar o número de times participantes do World Grand Prix porque há mais e mais seleções fortes no mundo. Queremos proporcionar maiores oportunidades para os times jogarem no voleibol de alto nível."

As regras continuam as mesmas, serão 4 grupos por semana com 4 seleções. Na fase final, com o maior número de participantes, aumentará também o número de classificados, serão 8 seleções que poderão jogar a Fase Final.

Com o maior número de vagas, a FIVB teve que redistribuir as vagas no classificatórios continentais. Serão 5 vagas para a Europa (a princípio seriam 6, mas como a FIVB optou por dar um wild Card ao Brasil, diminuíram a 5), 3 a NORCECA, 2 a América do Sul, 4 equipes da Ásia e pela primeira vez será disputado um playoff entre o quinto colocado do Campeonato Asiático e as equipes Africanas pela busca de uma vaga.

Com a decisão, algumas seleções já estão classificadas, são elas:
Europa - Polônia (Wild Card), Sérvia (Liga Européia), 3 vagas virão do Qualificatório disputado em Cagliari (Itália, Rússia, Holanda, Alemanha, Turquia, Bulgária)
NORCECA - EUA, República Dominicana, Cuba (Copa Pan-Americana)
América do Sul - Peru e Argentina (Copa Pan-Americana)
Ásia - China (Wild Card), Japão (Wild Card), 2 vagas serão disputadas da Copa Asiática
Playoff - 5º Asiático + Seleções Africanas disputam um playoff em busca de uma vaga
*Brasil (Wild Card)

* a classificação do Brasil é um caso a parte, já que as demais seleções classificadas pelo convite, retiraram uma das vagas do seu continente. No caso do Brasil ele está indo por fora da classificação continental. É provável que em 2012, se o regulamento se manter, e o Brasil conseguir a classificação continental (1 das duas vagas sulamericanas), a Europa ganhe mais uma vaga no Grand Prix, passando a ter 6 representantes.

fonte: fivb.com

Grand Prix 2010 - Fase Final: Melhores Jogadoras

Melhores Jogadoras:

Maiores Pontuadoras -

1. Saori Kimura (JPN) - 90 pontos
2. Foluke Akinradewo (EUA) - 70 pontos
3. Yimei Wang (CHN) - 68 pontos

Melhores Atacantes -

1. Anna Baranska (POL) - 44,27%
2. Jaqueline Carvalho (BRA) - 43,70%
3. Yunwen Ma (CHN) - 42,65%

Melhores Bloqueadoras -

1. Foluke Akinradewo (EUA) - 1.50
2. Thaisa Menezes (BRA) - 0.94
3. Kaori Inoue (JPN) - 0.89

Melhores Sacadoras -

1. Yimei Wang (CHN) - 0.62
2. Karolina Kosek (POL) - 0.44
3. Thaisa Menezes (EUA) - 0.35

Melhores Defensoras -

1. Xian Zhang (CHN) - 2.69
2. Enrica Merlo (ITA) - 2.64
3. Fabi (BRA) - 2.12

Melhores Levantadoras -

1. Qiuyue Wei (CHN) - 13.85
2. Alisha Glass (EUA) - 13.06
3. Eleonora Lo Bianco (ITA) - 12.71

Melhores Passadoras -

1. Antonella Del Core (ITA) - 62,50%
2. Anna Baranska (POL) - 50,049%
3. Juan Li (CHN) - 48,06%

Melhores Líberos -

1. Enrica Merlo (ITA) - 6.00
2. Vian Zhang (CHN) - 5.69
3. Fabi (BRA) - 4.53

Classificação:
1. EUA - 10 pnts (4-0)
2. Brasil - 8 pnts (2-2)
3. China - 6 pnts (2-2)
4. Japão - 4 pnts (2-2)
5. Polônia - 4 pnts (1-3)
6. Itália - 4 pnts (1-3)

fonte: fivb.com

Grand Prix 2010 - Fase Final: CHI x EUA


China 0x3 EUA (21-25, 25-27, 22-25) - Estatísticas

Foi um belo jogo, que deixou os Estados Unidos ainda mais perto do título. A partida valia muito para as duas equipes, qualquer vitória poderia deixar o vencedor dependendo apenas de suas forças para ser campeão.
O time americano começou o jogo indo para cima das chinesas, que pareciam sentir a pressão do ginásio lotado. Apesar da boa atuação de sua líbero, a China não conseguia neutralizar os ataques americanos. Mais uma vez as centrais dos EUA jogaram bem, mas quem fez a diferença foi a jovem Destinee Hooker. Mais uma vez ela foi a maior pontuadora e virou bolas importantes, toda vez que a China tentava uma recuperação.
O jogo foi equilibrado, mas nos momentos finais a equipe americana era mais agressiva e abria a vantagem para fechar set, ainda que fossem apenas os necessários dois pontos. O bloqueio americano cresceu a partir do segundo set. Na primeira parcial os EUA anotaram apenas um ponto nesse fundamento, mas dali para frente foram mais 15.
A China tinha força nas mãos de Wang, mas no final dos sets a bola ficava óbvia facilitando a vida norte americana. Alicia Glass fez mais uma bela partida, ainda que não tão precisa nos levantamentos, distribuiu bem as bolas, chamando a oposta Hooker sempre que necessário.
Talvez o trÊs a zero não mostre o equilíbrio do jogo, mas é um presente aos EUA pela maneira com que elas superaram os momentos difíceis e como foram buscar o jogo quando a China tentava se distanciar.
Agora só falta um jogo e os dois ainda tem chances de vencer o torneio. O jogo de abertura da rodada de amanhã pode ser o decisivo, caso os EUA vença o Japão, por qualquer placar. Já a China espera uma ajuda do rival asiático para jogar tudo na partida que encerra o campeonato contra o Brasil, que também está na briga pelo título.


Estatísticas:

Maiores Pontuadoras -
CHN: Yimei Wang - 15 pontos
EUA: Destinee Hooker - 24 pontos

Ataque (mínimo de 20 ataques) -
CHN: Y. Wang 36,84%, L. Chen 32,00%
EUA: Destinee Hooker 46,34%, Jordan Larson 28,57%

Bloqueio -
CHN: Q. Wei, Y. Ma, M. Xue, J.Li, - 1 bloqueio cada
EUA: Foluke Akinradewo - 5 bloqueios

Saque -
CHN: M. Xue, Y. Ma, J. Li, Y. Wang - 1 ace cada
EUA: Foluke Akinradewo e Dentinee Hooker - 2 aces cada

Defesa -
CHN: X. Zhang 3.67 (11 defesas), Q. Wei 2.00 (6 defesas)
EUA: Stacy Sykora 1.00 (3 defesas)

Levantamento -
CHN: Q. Wei - 19.33
EUA: Alisha Glass - 11.00

Recepção -
CHN: J. Li 58,33%, L. Chen 52,38%
EUA: Logan Tom 21,43%, Jordan Larson 19,05%

Comentários:

Q.Wei (capitã da China) - "Os EUA são um time muito forte. De fato, nós tivemos chances de ganhar, mas não conseguimos. Elas nos colocarem sob muita pressão na rede."
Wang (téc. China) - "OS EUA são um time maduro, não somente na defesa, mas também no ataque. Apesar da derrota, nós jogamos um bom voleibol, especialmente no ataque. Tivemos chance de vencer, mas não conseguimos manter, por causa da má recepção."
Tamas (capitã dos EUA) - "China é um time muito difícil. Nós jogamos muito bem hoje. Acho que vamos continuar nossa melhora."
McCutcheon (téc. EUA) - "Estou feliz pelo modo como jogamos hoje. É muito desafiador jogar contra a China. São um ótimo time. Estou satisfeito com a minha equipe, já que foram muito disciplinadas no saque, bloque e defesa. As jogadoras de recepção trabalharam muito duro e deram ótimo passe."



fonte: fivb.com

Grand Prix 2010 - Fase Final: BRA x ITA


Brasil 3x0 Itália (25-18, 25-13, 25-16) - Estatísticas

O jogo representou bem o momento que vive cada time. O Brasil precisava confirmar que estava na briga e superar as ausências de Mari e Paula e a derrota para os EUA ontem. A Itália não parecia ter nenhuma motivação. Mas talvez eu esteja encarando a atuação italiana (muito ruim) de uma forma mais tranquila que os italianos, vide as palavras de Lo Bianco e Babolini na coletiva de imprensa após a partida.
Embora ambos viessem de derrota havia uma grande diferença entre os dois times. O Brasil vinha de um grande jogo e confirmou seu crescimento, mantendo o alto nível de jogo. A Itália também manteve o nível das atuações que teve nos últimos jogos, mas era muito pouco para derrotar o Brasil.
Se preparando há três meses, o Brasil conseguiu chegar bem ao momento mais importante do campeonato. O mesmo não se pode dizer do time italiano, que está absolutamente inativo. Pareceu estar mal física, tática e tecnicamente. Diria que o time está quase que perdido, sem saber bem o que aconteceu para o rendimento cair dessa forma. Se é o cansaço, se foi um erro de planejamento ou se de fato houve pouco tempo de treino, já que as jogadoras só se apresentaram duas semanas antes do Grand Prix, só o tempo poderá responder.
O Brasil, no entanto, aproveitou o bom momento que vive e não deu chances ao seu adversário. Os dois times erraram pouco, um por precisão o outro por falta de atitude. A seleção brasileira foi superior em todos os fundamentos e no caso desse jogo os número explicam com facilidade o placar dilatado no jogo de hoje. Vale ainda destacar a boa atuação de Natália, que pela primeira vez no Grand Prix começou a partida como ponteira e da levantadora Fabíola que distribuiu bem o jogo deixando as atacantes sempre em boas condições de ataque.
O Brasil segue na briga e tem que fazer contas, precisa vencer a China por 3x0 ou 3x1 e torcer para uma derrota dos EUA para o Japão, o que neste momento não parece provável. Mas o jogo contra a China vale a medalha de prata. A Itália fecha sua participação amanhã contra a Polônia, talvez Barbolini dê uma oportunidade para as meninas, especialmente para a Arrighetti, que já está merecendo há bastante tempo. Se EUA e Brasil vencerem seus jogos por 3x0 ou 3x1, o jogo vale a medalha de bronze para ambas as equipes.


Estatísticas:

Maiores Pontuadoras -
BRA: Natália - 15 pontos
ITA: Serena Ortolani - 10 pontos

Ataque (mínimo 20 ataques) -
BRA: Natália 47,83%
ITA: Serena Ortolani 35,71%

Bloqueio -
BRA: Fabiana, Thaísa, Jaqueline - 3 bloqueios cada
ITA: Jenny Barazza e Simona Gioli - 2 bloqueios cada

Saque -
BRA: Natália e Fabiana - 2 aces cada
ITA: - (nenhum ace)

Defesa -
BRA: Fabi 2.00 (6 defesas)
ITA: Enrica Merlo 2.67 (8 defesas)

Levantamento -
BRA: Fabíola - 12.00
ITA: Eleonora Lo Bianco - 7.67

Recepção -
BRA: Jaqueline 48,00%
ITA: Francesca Piccinini 47,62%

Comentários:

Fabiana (capitã Brasil) - "Estou muito feliz com a forma como jogamos hoje. Quero parabenizar todo o time pelo foco. Vamos trabalhar duro para a próxima partida."
Zé Roberto (téc. Itália) - "Primeiro, parabéns a minha equipe pela forma como jogamos hoje. Estou muito feliz com o resultado, especialmente após a derrota na partida de ontem e a perda de duas principais jogadoras. Hoje tivemos ótimo saque, e também fomos bem no bloqueio. Jogamos de forma constante. Tomara que mantemos esse momento bom."
Lo Bianco (capitã da Itália) - "Estamos em um momento muito difícil. Precisamos achar o motivo para termos jogado tão mal. Eu não sei porque"
Barbolini (téc. Itália) - "Parabéns a equipe do Brasil, que hoje nos ensinaram uma lição. A derrota é uma vergonha para mim e para minha equipe. Todas equipes tiveram um momento de dificuldade. Nossa seleção não lutou em nenhum momento do jogo. Sinto muito aos fãs italianos que assistiram a partida. Hoje é um momento muito ruim para o time italiano. Brasil é um time excelente. É normal se você perder para o Brasil por 3x0. Mas nós não tentamos nosso melhor. E por isso eu sinto muito."


fonte: fivb.com

Grand Prix 2010 - Fase Final: POL x JAP


Polônia 3x1 Japão (25-15, 21-25, 25-23, 25-22) - Estatísticas

A Polônia entrou em quadra sem nenhuma vitória nessa fase final, mas parecia estar disposta a mostrar que não era o saco de pancada. E conseguiu. O time que vinha jogando bem, mas sempre saía derrotado pode enfim comemorar uma bela vitória, contra um Japão que vinha com moral após o triunfo sobre as italianas ontem.
O jogo começou e o Japão estava irreconhecível. Suas especialidades, passe e defesa, não funcionavam e a equipe polonesa não tinha dificuldade para virar as bolas, principalmente pelas extremidades com Kosek e Baranska pela entrada e Kaczor pela saída. As japonesas ainda esboçaram uma recuperação, mas não capaz de evitar a derrota com larga vantagem.
Mas essa força no final da primeira parcial ajudou o time no segundo set. Mais confiante e concentrado, o Japão liderou todo o set, enquanto a Polônia esbarrava nos próprios erros e via se complicar um jogo que parecia tranquilo.
No terceiro set um equilíbrio maior. O Japão conseguia virar mais bolas, mas no fim sua recepção a deixou na mão mais uma vez. A Polônia estava, então, a um set da vitória. E ela não demorou a acontecer. No quarto set as atacantes polonesas fizeram a diferença, especialmente Kosek.
Primeira vitória para a equipe européia, mais uma derrota para a asiática, que viu suas chances de medalha diminuírem bastante. No encerramento no campeonato as polonesas tem um clássico europeu contra a Itália, enquanto o Japão enfrentam os EUA.


Estatísticas:

Maiores Pontuadoras -
POL: Joanna Kaczor - 19 pontos
JPN: Saori Kimura - 19 pontos

Ataque (mínimo do 20 ataques) -
POL: Anna Baranska 44,74%, Joanna Kaczor 38,89%, Karolina Kosek 36,11%
JPN: Soari Kimura 38,30%, Yukiko Ebata 35,48%, Mai Yamaguchi 34,62%

Bloqueio -
POL: Milena Sadurek - 3 bloqueios
JPN: Ai Yamamoto - 4 bloqueios

Saque -
POL: Karolina Kosek - 4 aces
JPN: Yukiko Ebata - 3 aces

Defesa -
POL: Mariola Zenik 2.00 (8 bloqueios)
JPN: Yuko Sano 1.50 (6 defesas)

Levantamento -
POL: Milena Sadurek - 11.75
JPN: Yoshie Takeshita - 7.00

Recepção -
POL: Anna Baranska 58,06%, Karolina Kosek 33,33%
JPN: Saori Kimura 22,64%

Comentários:

Araki (capitã do Japão) - "A Polônia tomou a vantagem durante todo o jogo. Elas nos causaram muitos problemas para nós, especialmente no saque."
Manabe (téc. Japão) - "Minhas jogadoras não foram muito focadas desde o início da partida. Polônia foi bom no saque. Foi uma outra razão para nossa derrota."
Skowronska (capitã da Polônia) - "Estou muito orgulhosa do meu time. Foi muito difícil para nós depois da derrota de ontem. Estou feliz que vencemos a partida. Vamos enfrentar o Japão na partida de abertura do campeonato Mundial. Então, por isso, a vitória de hoje é muito importante para a gente."
Matlak (téc. Polônia) - "Estou muito feliz pela vitória de hoje. Também estou feliz que meu time apresentou um bom voleibol hoje. Estamos jogando na Ásia, estamos duplamente satisfeitos com a vitória."


fonte: fivb.com

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Um canal internacional de voleibol, sonho que pode virar realidade

Você já pensou se existisse um canal de tv internacional só de voleibol? Parece um sonho para qualquer amante do esporte, no entanto pode ser que esse sonho se torne realidade. A idéia é da tv polonesa 'POLSAT', que surgiu após a Polônia receber o direito de sediar o Mundial Masculino de 2014. O objetivo seria promover o campeonato, mas também a Polônia quanto país de uma forma geral, já que o canal poderia ser visto em demais países. Por enquanto tudo está em fase de negociação. A 'POLSAT' conversa com a Federação Internacional (FIVB), e também com o Brasil, Japão, Itália e Rússia. Se tudo andar como eles planejam, o canal se tornará sim real, e os fãs de voleibol irão poder se deliciar com muito vôlei, de diversas ligas, de diversas competições no masculino e feminino. A nós agora cabe torcer, e que os polonesas consigam organizar mais essa façanha.

fonte: imprensa polonesa (por Justyna)

Para poucos...


A ponteira italiana Francesca Piccinini, somando os pontos que fez durante este Grand Prix, ultrapassou a marca dos 4000 pontos com a camisa da seleção italiana, mais precisamente são 4010 pontos até hoje após a partida contra o Japão. Certamente uma marca incrível, e para poucas jogadoras. Piccinini atua pela seleção adulta desde os 16 anos de idade e a princípio o planejamento é chegar até as Olimpíadas de Londres. É mais um feito impressionante da jogadora que segue fazendo história no vôlei italiano. Parabéns Francesca!

fonte: grupo da jogadora no facebook

Grand Prix: As melhores da Fase final

Melhores Jogadoras:

Maiores Pontuadoras -

1. Saori Kimura (JPN) - 71 pontos
2. Foluke Akinradewo (EUA) - 56 pontos
3. Yimei Wang (CHN) - 53 pontos
3. Jaqueline Carvalho (BRA) - 52 pontos

Melhores Atacantes -

1. Anna Baranska (POL) - 44,09%
2. Saori Kimura (JPN) - 42,21%
3. Jaqueline Carvalho (BRA) - 41,38%

Melhores Bloqueadoras -

1. Foluke Akinradewo (EUA) - 1.46
2. Yimei Wang (CHN) - 1.10
3. Antonella Del Core (ITA) - 1.00

Melhores Sacadoras -

1. Yimei Wang (CHN) - 0.70
2. Serena Ortolani (ITA) - 0.36
3. Thaisa Menezes (EUA) - 0.36

Melhores Defensoras -

1. Enrica Merlo (ITA) - 2.64
2. Xian Zhang (CHN) - 2.40
3. Fabi (BRA) - 2.14

Melhores Levantadoras -

1. Eleonora Lo Bianco (ITA) - 14.09
2. Yoshie Takeshita (JPN) - 13.93
3. Alisha Glass (EUA) - 13.54

Melhores Passadoras -

1. Antonella Del Core (ITA) - 64,94%
2. Karolina Kosek (POL) - 50,00%
3. Logan Tom (EUA) - 49,51%

Melhores Líberos -

1. Enrica Merlo (ITA) - 6.00
2. Vian Zhang (CHN) - 5.30
3. Yuku Sano (JPN) - 4.79

Classificação:
1. EUA - 7 pnts (3-0)
2. China - 6 pnts (2-1)
3. Brasil - 5 pnts (1-2)
4. Japão - 4 pnts (2-1)
5. Itália - 4 pnts (1-2)
6. Polônia - 1 pnts (0-3)

Grand Prix 2010 - Fase Final: CHN x POL


China 3x0 Polônia (25-19, 25-19, 25-17) - Estatísticas

As chinesas estão cada vez mais confiantes nesta fase final, e assim como aconteceu ontem, apresentaram um grande voleibol hoje contra a Polônia, alcançando uma vitória convincente por 3x0 e fazendo a festa de seus torcedores. A seleção polonesa encontrou enormes dificuldades, cometeu muitos erros durante todo o jogo. Ao todo foram 21 pontos dados de graça a seleção da casa, que cedeu apenas 9 as adversárias. O técnico Matlak não pode contar com a ponteira Kosek, que apresentou uma pequena lesão, e o time parece ter sofrido com sua ausência, principalmente na estabilidade do ataque e na recepção.
A China aos poucos vai superando a ausência da ponteira Hui, muito graças à cada vez mais em forma Yimei Wang, grande destaque do jogo de hoje. Seu poderosos ataques lideram as chinesas, que logo no início abriram uma boa vantagem de 17x11 no primeiro set. A Polônia ainda tentou uma reação com sua capitã Skowronska, promovida novamente a titular, após a boa atuação contra o Brasil. No entanto, tranquilas em quadra, as chinesas souberam administrar qualquer momento de irregularidade, que não foram muitos. Após a derrota no primeiro set, a Polônia parecia não conseguir achar soluções para parar os consistentes ataques de Wang e Chen, seguia errando muito e eventualmente parava na muralha chinesa. Esse foi o enredo dos sets seguintes e, assim, a China facilmente fechou o jogo em 3x0. Amanhã as chinesas terão uma difícil batalha pela frente. Enfrentam as invictas americanas em um jogo que pode ser a final antecipada para ambas, já que ocupam respectivamente a primeira e segunda posição na tabela, com apenas um ponto separando as equipes. Já a Polônia precisa pensar em se divertir agora, sem quase chances de medalha, o time vai jogar contra o Japão na luta pela sua primeira vitória na fase final.


Estatísticas:

Maiores Pontuadoras -
CHN: Yimei Wang - 19 pontos
POL: Katarzyna Skowronska - 11 pontos

Ataque (mínimo de 20 ataques) -
CHN: Y. Wang 36,67%
POL: Kasia Skowronska 35,71%, Anna Baranska 30,00%

Bloqueio -
CHN: Y. Wang - 5 bloqueios
POL: Agnieszka Bednarek - 3 bloqueios

Saque -
CHN: Y. Wang - 3 aces
POL: Berenika Okuniewska, Agnieszka Bednarek, Anna Baranska e Milena Sadurek - 1 ace cada

Defesa -
CHN: X.Zhang 2.00 (6 defesas)
POL: Milena Sadurek 1.67 (5 defesas)

Levantamento -
CHN: Q. Wei - 7.33
POL: Milena Sadurek 6.00

Recepção -
CHN: J. Li 47,83%
POL: Anna Baranska 33,33%, Joanna Szczurek 20,83%

Comentários:

Wei (capitã da China) - "Nós fizemos muita preparação para o jogo de hoje. Estamos muito felizes por termos vencido a partida. Ganhar duas partidas seguidas é um bom sinal para nossa equipe."
Wang (téc. China) - "A vitória de ontem contra o Japão deu um impulso na nossa confiança e permitiu as minhas jogadoras a manter um equilíbrio no humor na partida de hoje. Tecnicamente, fomos bem nos ataques rápidos hoje."
Skowronska (capitã da Polônia) - "Foi a primeira vez que jogamos contra a China esse ano. Não sei o que aconteceu, mas tentamos nosso melhor. Para nós foi realmente uma partida difícil e estranha."
Matlak (téc. Polônia) - "Nós jogamos muito mal hoje. Sentimos muito por isso. EStamos treinando a mais ou menos 4 semanas, então estamos muito cansados. Vamos tentar fazer um progresso amanhã."


fonte: fivb.com

Grand Prix 2010 - Fase Final: BRA x EUA


Brasil 2x3 EUA (25-22, 19-25, 28-30, 25-17, 13-15) - Estatísticas

Foi sem dúvida o melhor jogo do Grand Prix. Não só porque envolvia as duas melhores equipes, mas principalmente porque elas conseguiram, apesar da tensão da partida, jogar um grande voleibol. A nota triste do jogo foi a contusão da ponteira Paula Pequeno, segunda baixa do Brasil nessa fase final, que teve uma fratura no pé esquerdo e não se sabe quando poderá voltar às quadras.
O jogo começou com uma pequena vantagem para as americanas, mas a brilhante atuação da líbero Fabí dava chances ao Brasil de se recuperar. E foi o que aconteceu. Com Paula em noite inspirada, a seleção brasileira fechou o set e saiu na frente no placar.
Os EUA voltaram para o segundo set dispostos a empatar o jogo. No duelo de centrais, vantagem para as americanas, que com um passe mais regular usavam e abusavam das jogadas rápidas com Bown e Akinradewo. E com uma pequena folga fechou a parcial.
O terceiro set foi o mais equilibrado. Longos ralis, grandes defesas, Logan Tom de um lado, Sheilla do outro. Com certeza quem gosta de voleibol estava adorando o jogo e mesmo que não torcia para nenhum dos times sentia a tensão. Chances de fechar o set para os dois times, mas as americanas levaram vantagem em um ace de Hooker.
O Brasil não tinha outra alternativa no quarto set. Era ganhar ou ganhar. E foi o que o time fez. Concentrado e vibrante, o Brasil empatou o jogo, mais uma vez com grande participação de Paula.
O jogo merecia um tie-break, depois de tanto equilíbrio. O cenário não mudou no início do set. Mas uma infelicidade para o Brasil pode ter mudado o rumo do jogo (ou não). Paula Pequeno subiu para bloquear e na queda pisou no pé da americana. Era o fim do jogo para ela, que vinha sendo, ao lado de Fabi, um dos destaques do Brasil. Natália entrou, mas não conseguiu repetir as atuações que já encantaram tanta gente. Entrar com a responsabilidade de passar e em uma situação inesperada não foi fácil e os EUA tiraram proveito. O jogo seguia empatado até o 13-13, quando um erro de saque deu o match point às americanas. Apareceu então o melhor fundamento dos EUA na competição: um bloqueio em Sheilla e a vitória que deixa o título nas mão das americanas, que dependem apenas de suas forças para levar o troféu. A primeira batalha será essa noite contra as donas da casa. Já o Brasil segue na luta, esperando um tropeço dos EUA, contra a Itália.



Estatísticas:

Maiores Pontuadoras -
BRA: Sheilla - 22 pontos
EUA: Foluke Akinradewo - 23 pontos

Ataque (mínimo 20 ataques) -
BRA: Paula 46,67%, Sehilla 38,46%, Jaqueline 21,95%, Thaisa 45,45%, Fabiana 59,09%
EUA: Foluke Akinradewo 57,14%, Destinee Hooker 37,78%, Logan Tom 28,00%, Heather Bown 42,30%, Jordan Larson 36,36%

Bloquieo -
BRA: Thaisa - 7 bloqueios
EUA: Foluke Akinradewo - 7 bloqueios

Saque -
BRA: Thaisa - 2 aces
EUA: Heather Bown, Destinee Hooker e Jordan Larson - 1 ace cada

Defesa -
BRA: Fabi 3.40 (17 defesas), Jaqueline 2.40 (12 defesas)
EUA: Stacy Sykora 2.40 (12 defesas)

Levantamento -
BRA: Fabíola - 13.00
EUA: Alisha Glass - 17.60

Recepção -
BRA: Paula 65,63%, Jaqueline 38,00%
EUA: Logan Tom 44,26%, Jordan Larson 43,33%

Comentários:

Fabiana (capitã do Brasil) - "Apesar da partida não ter ido como a gente esperava, lutamos até o final. Estamos orgulhosas da nossa performance."
Zé Roberto (téc. Brasil) - "O jogo foi muito equilibrado e muito balanceado. Estou impressionado com a determinação das americanas. Mas, apesar da derrota, estou orgulhoso do meu time."
Tamas (capitã dos EUA) - "Um jogo de cinco sets contra o Brasil foi muito difícil. Mas antes da partida nós sabíamos que seria uma partida equilibrada. Nós jogamos muito duro essa noite. Nós vamos retornar amanhã e tentar jogar o melhor voleibol."
McCutcheon (téc. EUA) - "Foi uma partida muito difícil. Ambas equipes jogaram duro. Houve alguns ótimos ataques, alguns bons ralis. Foi muito equilibrado. Estou muito feliz, mas nós entendemos que ainda há muito o que fazer. O Brasil nos ensinou muito essa noite."


fonte: fivb.com