segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Blog Entrevista - Robin de Kruijf

Essa central holandesa de apenas 18 anos e 192cm vem encantando a todos por onde passa com seu grande voleibol. Robin de Kruijf já deixou de ser uma promessa para se tornar um realidade do voleibol mundial e nós brasileiros tivemos a chance de acompanha-la de perto jogando o torneio Top Volley na Suíça pelo TVC Amstelveen da Holanda. Ela nos cedeu uma entrevista e agora você pode ficar sabendo um pouco mais dessa jovem e talentosa jogadora.



Onde você começou a jogar vôlei?

No Taurus em Houten.

Você tem somente 18 anos. Já tomou a decisão se o voleibol é algo que quer ter como profissão ou você tem outros interesses?

Eu tenho também outros interesses e coisas que quero fazer, mas meu sonho é me tornar no futuro uma das melhores jogadoras de vôlei, então o voleibol será a coisa mais importante na minha vida.

Como você divide seu tempo entre os estudos e o voleibol?

Eu estudo em uma faculdade especial para pessoas que jogam em esporte de alto nível. Então eles me ajudam a combinar meu tempo entre o colégio e o voleibol.



Do que você mais gosta no esporte?

Eu realmente adoro todos os aspectos do volêi. Não consigo escolher qual meu aspecto favorito.

No futuro existe alguma outra liga que você gostaria de jogar, como a italiana por exemplo? O que você acha que seria o mais difícil para você se adaptar jogando em um campeonato em um país diferente (comida, língua, saudade da família,...)?

No futuro eu com certeza gostaria de jogar em outra competição, espero que em alguns anos na Itália, mas existem outros países também que eu gostaria. E sem dúvidas vou sentir mais falta da minha família. Sou muito próxima a eles, então isso seria o mais difícil.

Essa temporada pelo TVC Amstelveen você é uma peça importante para o sucesso da equipe, é uma referência. Como é ser essa jogadora? Você gosta de ter esse tipo de responsabilidade?

É um processo de aprendizagem. Não fui a única teve uma mudança nesse sentido. Então no início da competição foi um pouco difícil descobrir o papel de cada uma na equipe.



Com a Seleção do seu país você pode jogar ao lado de uma das melhores meios de rede do mundo, que é Ingrid Visser. Como foi essa experiência? Ela é uma jogadora que você espera ser um dia?

Isso foi realmente uma grande experiência. Ela é uma excelente pessoa então eu prestava toda a atenção possível nela para poder aprender o máximo. Espero ser que nem ela um dia.

Os polonesês são conhecidos por serem grandes fãs de voleibol. Como foi participar do Campeonato europeu na Polônia ano passado e a experiência de ganhar a medalha de prata?

Foi incrível! O público polonês é de arrepiar. Aqui na Holanda é o oposto, as pessoas aqui não gostam muito de voleibol. Então foi ótimo ver que o esporte lá é tão popular.



Com o clube ou com a seleção você pode visitar diferentes países pelo mundo. Pode nos contar qual o país você mais gostou de visitar? E qual foi o mais diferente até agora? Tem alguma história engraçada/interessante/estranha que possa dividir conosco?

Eu realmente gostei do público na Polônia, mas China e Japão foram muito legais de conhecer também.
Quando estávamos em Taiwan para o Grand Prix 2009 tinha um ciclone passando pela cidade então toda vez que nós iamos treinar tinhamos praticamente que ir nadando :P.

2010 é ano de Campeonato Mundial. Quais são suas expectativas para a participação holandesa e por você ter a chance de participar de um evento tão importante no voleibol?

Nós teremos que jogar contra Brasil e Itália, então serão partidas muito difíceis. Mas temos um bom time, veremos o que acontece. Para mim será uma grande experiência, estarão jogando os melhores países do mundo, então tenho muito de onde aprender.



Na sua opinião qual é seu ponto mais forte dentro de quadra? E o que você tem que melhorar?

Eu posso e tenho que melhorar em tudo mas por agora, acho que sou uma jogadora bem rápida.

Qual é a sua rotina em um dia de jogo?

Depende se é um torneio ou um jogo de uma competição regular. Nos torneios normalmente treinamos pela manhã, então voltamos dormimos para depois ir para a partida. Mas aqui na Holanda nossos jogos são sempre tarde, então simplesmente faço minhas coisas. Vou ao shopping ou assisto tv, nada em especial.

Você tem alguma superstição?

Não, por um lado eu acho bobagem, mas quando eu jogo muito bem tento repetir na partida seguinte tudo igual a partida que eu joguei bem.

Como é Robin de Kruijf fora das quadras?

As vezes um pouco maluca mas outras muito calma. Depende como estou me sentindo.



RAPIDINHAS:

Comida favorita - Massa
Filme Favorito - The hangover (brasil: Se beber, não case)
Música Favorita - R&B
Um lugar que quero visitar - Estados Unidos
No meu tempo livre eu gosto - De fazer compras
O que mais sinto falta da Holanda quando estou fora - Minhas família e amigos
Um sonho - Ser a melhor jogadora de vôlei


Gostaríamos de agradecer a Robin por ter aceitado gentilmente fazer essa entrevista, nós não temos dúvida que ainda vamos escutar muito falar dessa jogadora no cenário mundial. Quero agradecer também ao meu amigo Richard por ter tornado essa entrevista possível e por ser sempre tão atensioso. (We would like to thanks Robin for accepting making this interview, we have no doubt that we are still going to hear a lot from this player in the volleyball world. I'd like to thank also my great friend Richard for making this interview possible and for always being so kind.) Dank je!!!:)

7 comentários:

  1. richard scholten in t hof18 de janeiro de 2010 18:41

    para este grande jogador e agradável

    ResponderExcluir
  2. richard scholten in t hof18 de janeiro de 2010 18:43

    i think the translater did not do its work 100% so in english then
    you are welcome joana, nice there is interest for this nice and great volley player
    Richard

    ResponderExcluir
  3. hehehehehe...is worth the trying! ;)

    I'm sure everyone will lvoe to know a bit more about Robin!:)

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a entrevista, gostei bastante e ela tem muito potencial para ser no futuro uma das melhores de sua posição!!
    Interessante saber como ela faz para conseguir estudar e jogar!
    bom gosto para filme "Se beber não case" td mundo está gostando muito desse filme!

    ResponderExcluir
  5. Grande garota!! Torço para que cresça cada vez mais, tem ambição na dose certa e vontade de transformar sua paixão no amor eterno de sua vida! Ótima entrevista, parabéns meninas e vida longa a Robin no voleibol mundial!

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o comentário da Ci, só não assisti ainda "Se Beber Não Case".

    ResponderExcluir
  7. ACHEI INTERESSANTE A PREOCUPAÇÃO DELA COM OS ESTUDOS...INFELIZMENTE POR AQUI AS COISAS NÃO ACONTECEM ASSIM. SERIA BOA NOSSOS ATLETAS, PRINCIPALMENTE DO FUTEBOL, APRENDEREM COM PESSOAS COMO A ROBIN. A PREOCUPAÇÃO É SÓ EM GANHAR DINHEIRO E ESQUECENDO QUE A CARREIRA DE UM ATLETA É CURTA...E DEPOIS...VAI VIVER DE QUÊ...SE NÃO FOR FAMOSO...VALE A PENA PENSAR...

    ResponderExcluir

Qualquer mensagem de conteúdo ofensivo será excluída. Respeitem o voleibol.